abril 12, 2012

Crítica: 'The Good Wife' volta mais sexy e ousada!

Terceira temporada estreou esta semana



Existe um certo receio para algumas séries quando se chega em sua terceira temporada. Geralmente, depois de uma primeira avassaladora, a segunda precisa segurar um ritmo e para isso abusa de artifícios como novos personagens e assim novos dramas - algo mais complicado de ser levado numa terceira sem criar ostracismo. Porém, pode-se constatar que ao assistir o primeiro episódio da terceira temporada do drama jurídico The Good Wife, é que a série parece estar apenas começando...


Exibida pelo Universal Channel, terças, às 23 horas, o seriado continua a história de Alicia Florrick (Julianna Margulies), a mulher que passou pelo constrangimento público em ficar ao lado do marido Peter (Chris Noth), político que assumiu trair a esposa com prostitutas. Ela retoma sua vida de advogada e, durante as duas últimas temporadas, lutou contra esse acontecimento tentando conciliar sua tumultuada vida pessoal com a profissional.


E, finalmente, depois de tentar levar a vida como uma boa esposa, Alicia assume agora seu lado mais livre e até, de certa forma, vingativo. Essa ira, impulsionada quando descobriu que Peter também teve um caso com sua colega de trabalho e amiga Kalinda (Archie Panjabi). Até então, Alicia se sentia pressionada a tentar ficar bem com seu marido e se dedicar a sua família, mesmo sentindo desejo por um dos sócios da empresa de advogados, Will Gardner (Josh Charles). A nova fase deixa o nome da série ainda mais irônico, mostrando que Alicia agora divorciada do marido, e com seus filhos crescidos, pode voltar a ser uma mulher forte e dedicada a si mesma - como sempre lembrava dos fatos antes de abandonar a carreira para assumir a responsabilidade de ser uma mãe e mulher de político.


Mas esse recomeço também deixou claro que o seriado não foca apenas no drama de seus personagens. Os casos continuam ainda mais afinados com o contexto e ousados, mesmo que não muito aprofundados. Este primeiro já tocou na ferida que os americanos não gostam muito de falar sobre: a tensão entre palestinos e israelenses. E é nessas polêmicas mescladas com personagens tão complexos e humanos que o seriado segue com novo fôlego ditando um padrão de qualidade para novos dramas do gênero. 


Trailer: