julho 27, 2011

'Battleship', filme inspirado no jogo Batalha Naval, ganha primeiro trailer!

Terra enfrentará mais uma invasão alienígena...


Sabe-se lá o que se passa na cabeça dos executivos de Hollywood, mas temos mais um filme de invasão alienígena chegando nos cinemas em breve. Trata-se da adaptação do jogo Batalha Naval, da Hasbro, Battleship. Com semelhanças gritantes à adaptação de Transformers, o longa ainda tem uma premissa tão banal quanto a de Invasão do Mundo: Batalha de Los Angeles,  que no fim decepcionou e muito, mas ainda traz algo de Distrito 9 no motivo da invasão, o que melhora as coisas.

Em Battleship, depois de uma invasão extraterrestre, uma frota internacional é colocada à campo para combater os aliens, chamados de Regents que viream à Terra em busca de fonte de energia que precisam usar para reconstruir seu planeta de origem, sem a necessidade de querer dominar o mundo. O filme vai seguir tanto o ponto de vista dos humanos quanto do inimigo.

Confira o trailer recheado de ação:




No elenco estão: Liam Neeson, Taylor Kitsch, Brooklyn Decker, Alexander Skarsgård e Rihanna. Dirigido por Peter Berg, Battleship tem lançamento marcado para 18 de maio de 2012.

omelete.

julho 25, 2011

Poster e trailer de 'Piratas Pirados', animação dos criadores de 'A Fuga das Galinhas'!

Prévia promete diversão e humor em 3D


Após o fracasso de Por Água Abaixo, filme de animação feito em computação gráfica, mas que imitava o stop-motion tradicional, os produtores de A Fuga das Galinhas, retornam as origens com Piratas Pirados! (The Pirates! Band of Misfits) pelo estúdio Aardman, o mesmo de Wallace & Gromit. O longa é dirigido por Peter Lord  que volta à direção pela primeira vez desde A Fuga das Galinhas na adaptação da série de livros The Pirates!, de Gideon Defoe. Confira o autêntico e promissor trailer:


No filme, o pirata Capitão (Hugh Grant) é um aventuresco, embora nem sempre bem sucedido, terror dos Sete Mares. Seu sonho: derrotar Black Bellamy (Jeremy Piven) e Cutlass Liz (Salma Hayek) e levar o troféu de Pirata do Ano. Para conseguir, Capitão vai com sua tripulação da exótica Ilha de Sangue às ruas da Londres vitoriana, batalhando contra a Rainha Vitória (Imelda Staunton) e com a preciosa ajuda do jovem Charles Darwin (David Tennant). Fazem parte do elenco: Martin Freeman, Russell Tovey, Brian Blessed, Brendan Gleeson e Ashley Jensen. A direção é dividida entre Lord e Jeff Newitt. Piratas Pirados! estreia em em 30 de março de 2012.

Fonte: Omelete.

julho 23, 2011

And I go back to black...


Não é surpresa, mas é um choque. Amy Winehouse sai de cena, mas deixa um legado indiscutível sobre a qualidade de sua arte. Não se trata de fama, nem de quantos álbuns vendidos, e sim de como ela conduziu estilos musicais tão distantes de uma geração marcada com a superficialidade dos sintetizadores da música pop. Amy me fez expandir a fronteira da música, quando misturou o pop com o jazz, o soul. Posso dizer que como o nome do estilo citado, ela conseguiu tocar a minha alma. Quantos artistas conseguiram este feito com você? Não se trata de ser fã ou não - nuncam e considerei um -, mas tive bons momentos ouvindo e sentido a voz avassaladora de Amy. É a melancolia de Back to Black que me levou onde eu nunca estive, e mais do que tudo, continuará me levando. Sua música, como poucas da indústria, será eterna.



RIP The Heart of Amy Winehouse

Luto - Project Monkeys

julho 22, 2011

Crítica: A despedida precoce de 'Brothers & Sisters' e a temporada irregular de 'Glee'

Séries finalizam ciclos e deixam à desejar, apesar de episódios excelentes



Duas séries encerraram suas exibições com episódios inéditos no Brasil nas últimas duas semanas. Uma pelo menos sai de cena com a certeza que irá voltar, enquanto a outra o final é decretado oficialmente. Brothers & Sisters e Glee agitaram a TV a cabo nos últimos dias e, tanto o drama familiar, quanto o musical cômico fizeram uma temporada irregular, com diversos bons momentos, mas ainda assim, volte e meia ficam perdidas no enredo.

Glee teve seu último episódio da temporada exibido pela FOX na semana passada. O atraso em relação aos EUA nem é tão grande, já que o seriado não tem grandes mistérios para serem esclarecidos. A julgar pela temporada, Glee alcança um patamar aeitável, em relação à outros seriados. Como seu gênero é raro na TV, complicado querer compará-lo com outra série, porém no geral, Glee conseguiu manter o bom fôlego da primeira temporada e ainda abocanhou críticas positivas, chegando a se destacar no Emmy mais uma vez.

O grande trunfo da temporada foi mexer nas peças do tabuleiro. Vítima de bullying, Kurt (Chris Colfer) sai da escola e acaba sendo rival do Novas Direções, clube do coral. Lá ele conhece seu interesse amoroso, Blaine (Darren Criss) , que ganhou grande destaque, além de protagonizarem uma cena de beijo e performances românticas juntos.  Do outro lado, novos casais também foram formados para movimentar a trama, mas no fim só serviram mesmo para enrolar. Acaba que o casal mais importante fica junto: Finn (Cory Monteith) e Rachel (Lea Michele). Por mais que a trama se esforce, foram poucos episódios que se conectaram com a boa essência da primeira temporada, mas surpreenderam.

De resto, sobrou episódios temáticos e até bobos como o especial com músicas de Britney Spears e o sobre bebidas alcoólicas. Outros, no entanto, contribuíram para questões que realmente fazem parte da confusão na adolescência, como Grilled Cheesus, que abordou sobre religião, o Never Been Kissed que traz o drama da treinadora Shannon Beiste (Dot-Marie Jones), da qual, expandiu a questão do preconceito, o Born This Way um dos melhores da temporada que conseguiu ser forte com a questão do bullying como um todo, além de mostrar resolução do drama da professora Emma Pillsbury (Jayma Mays) que tinha TOC, e a surpresa do episódio Prom Queem, que mais uma vez coloca Kurt de frente com a homofobia.

Mas o melhor ficou para o final no episódio New York, com os personagens partindo para as regionais. Infelizmente, ou melhor, felizmente eles perderam feio. Felizmente porque isso é necessário para que Glee siga sendo um seriado sobre superação e para seus protagonistas conseguirem submergir, resta mais derrotas que vitórias. O que motiva o ser humano seguir adiante são essas derrotas, da qual, as vitórias acabam sendo encontradas de outras formas, em cada luta. Neste último episódio ficou marcado quais são os personagens mais talentosos no quesito musical. Rachel e Kurt conseguem comover quando cantam a emblemática For Good, transparecendo a confusão sobre o futuro. A terceira temporada é a última desses dois personagens, e resta saber se o novo elenco preencherá o vazio que será deixado por eles.


Brothers & Sisters foi cancelada da maneira mais ingrata possível. Teve a temporada finalizada, e só depois foi confirmado seu cancelamento. Pelo menos, os produtores do seriado já esperavam a atitude da emissora então fizeram um finalzinho com a narração da protagonista Nora Walker (Sally Field), tentando fechar as arestas, mas ainda assim a sensação de poderia ter ao menos uma nova temporada menor, pairou com a entrada dos créditos. Não que a série merecesse muito. Ao longo das últimas duas temporadas, Brothers & Sisters perdeu o fôlego e se segurou como pôde em surpreender o telespectador. A essência da série que são as reviravoltas e mistérios estava lá, mas em doses menos impactantes.

Esta quinta temporada começou morna, e mesmo com a acelaração da trama em um ano, pouca coisa mudou. Quando tudo parecia piorar, ao incrementar o adultério ao casal Kevin (Matthew Rhys) e Scott (Luke Macfarlane), finalmente o seriado ganhou um arco forte, com a probabilidade de Sarah (Rachel Griffiths) não ser filha de William com Nora, e sim fruto da relação dela com um Brody, momentos antes de casar. Turbinada com essa revelação, a trama ainda teve a participação de Beau Bridges, como Brody (inclusive indicado ao Emmy como melhor participação especial em série dramática neste ano).

As outras tramas ficaram à sombra da revelação, como a própria Sarah e o noivo francês - nem mesmo a participação de Sônia Braga conseguiu envolver. Em outro núcleo, o drama do casal gay foi superado e a adoção finalmente se concretizou trazendo outros problemas, bem inexpressivos e banais, caindo até no rídiculo com a aparição da barriga de aluguel, Michelle - amiga de Scott - que mentiu ao dizer que havia perdido o filho e apareceu por lá para entregar a criança. Kitty (Calista Flockhart) e Justin (Dave Annable) tiveram suas vidas focadas nos relacionamentos, o que garante tramas ao nível de Glee com as indas e vindas de paixões "adolescentes".

A revelação de que Brody tem uma filha, seria o fôlego para mais uma temporada, no entanto, faltou audiência. Uma pena. Sally Field mesmo tendo seu momento Regina Duarte, estava em um bom programa, que tocou em temas delicados como política, homossexualidade e casamento gay, sexo na terceira idade, adoção, infidelidade, guerra do Iraque, e etc, mas acima de tudo tratou sobre família e fazer parte de uma. Uma nova família ocidental que precisa tolerar as diferenças entre si e assim se adaptar e tolerar o próximo. Mesmo com tropeços, uma coisa é certa, a família Walker vai fazer falta.

julho 21, 2011

'Atividade Paranormal 3' ganha seu primeiro trailer

Trama é um prelúdio e desvenda a história de Katie no fim dos anos 80



Mesmo com diversas críticas sobre a qualidade do filme, umas positivas e outras extremamente negativas, a franquia Atividade Paranormal gerou um lucro tão alto que o resto não importa. Foi divulgado o trailer de Atividade Paranormal 3 (Paranormal Activity 3), que com ares de prequel, promete desvendar como o espírito maligno encontrou Katie e sua irmã, que foram protagonistas dos dois primeiros longas, respectivamente. O filme se aproveita de gravações caseiras que mostram as duas, no fim dos anos 80, brincando com a lenda Blood Mary em frente ao espelho do banheiro - resta saber se essa explicação boba serve apenas como uma ironia, ou se realmente o filme vai pender para o folclore.



O longa é dirigido por Henry Joost e Ariel Schulman e segue o roteiro de Christopher B. Landon, diretor do até bom segundo filme. Nos EUA, Atividade Paranormal 3 estreia às vésperas do Halloween, em 21 de outubro.

'O Espetacular Homem-Aranha' tem teaser trailer revelado!

Prévia não apresenta história inovadora, mas uma cena em particular...



É cedo pra saber se foi sábia a decisão da Sony abandonar a franquia Homem-Aranha, para dar um reboot na série, trocando os atores, diretores e até o nome. Claro que a decisão tenta reparar os danos do último filme da primeira trilogia, que desperdiçou o bom terreno dos dois primeiros filmes, porém, certas mudanças ocorrerem tão rapidamente entre um e outro que deixa complicado e imprevisível saber se será satisfatório. Deu certo com Batman, mas as mudanças lá foram bem maiores e com tempo maior entre um longa e o outro. Enfim.

O primeiro teaser de O Espetacular Homem-Aranha (The Amazing Spider-Man) tem muitas semelhanças com o primeiro filme. Escola, mordida de aranha, transformação e etc., entretanto, a cena em 1ª pessoa com o herói "voando" por NY é de tirar o fôlego. Assista:


Fazem parte do elenco: Andrew Garfield (Peter Parker), Emma Stone (Gwen Stacy), Rhys Ifans (Curt Connors), Sally Field (Tia May), Martin Sheen (Tio Ben), Denis Leary (George Stacy), Campbell Scott (pai de Peter), Julianne Nicholson (mãe de Peter), Irrfan Khan (o vilão Van Atten), entre outros. Marc Webb é o responsável pela direção. O Espetácular Homem-Aranha estreia em 3 de julho do ano que vem.

Fonte: Omelete.

julho 19, 2011

Crítica: 'Harry Potter' finaliza saga com bom filme, e uma reflexão sobre sua contribuição para o cinema

Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 não é o filme do ano, mas traz ensinamentos à cultura atual


Há uma década, estreava pelo mundo umas das histórias mais aguardadas e originais já transpostas para o cinema. Baseado na obra de J.K. Rowling, a franquia Harry Potter tornou-se um dos maiores fenômenos mundiais de bilheteria, movimentando a indústria não só do cinema, como todo o mercado do entretenimento. Fruto de uma série de livros que apresentavam linguagem fácil e que foram crescendo ao decorrer da criatividade e utilização de referências de clássicos da literatura, a autora assiste sua obra junto com milhares de fãs com a sensação de missão cumprida. A saga de Harry Potter não só inspirou diversas outras histórias para o cinema - algumas fracassadas -, mas também ensinou a Hollywood que a substituição de astros e bons roteiros por efeitos especiais não é o caminho certo. Nunca foi.

Dentre os oito filmes produzidos, muitos erros e acertos puderam ser percebidos. A polêmica do que realmente é uma boa transposição dos livros para as telas, nunca foi tão debatida entre fãs fervorosos e críticos de cinema. Mas uma coisa é certa, na média geral Harry Potter se sobressai em relação aos filmes semelhantes e encontrando um lugar junto com O Senhor dos Anéis no marco das adaptações bem sucedidas se tratando de fantasia. Se a saga começou morna com filmes medianos como Harry Potter e a Pedra Filosofal e a sequência Harry Potter e a Câmara Secreta, a culpa talvez não tenha sido pela falta de competência do diretor Chris Columbus, e sim pelos próprios livros que ainda caminhavam sem apresentar o gancho definitivo que viria a seguir. Também ao ler os livros e ver os filmes que deixam claro o seguinte: tem coisas no universos criado por Rowling que só funcionam bem na imaginação do receptor.

Em Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, o  diretor espanhol Alfonso Cuarón, deixou seu legado e fez a melhor obra até então, mostrando os personagens crescidos, com dilemas, dramas e explorando a turbulenta adolescência. O filme ainda marca uma direção de arte atraente, a trilha sonora em perfeita sintonia - presenteando os fãs com uma bela sequencia da canção Double Trouble cantada por um coral de bruxos e sapos, composta por John Williams - e ainda o vôo de Harry no Bicuço, sinônimo de uma cena belíssima que somente a magia do cinema pode proporcionar. Mas acima disso, a essência do peso da responsabilidade que os personagens carregam foram mostrados com muita competência. É a soma de um bom livro e uma boa adaptação.

O quarto filme, Harry Potter e o Cálice de Fogo, provavelmente foi o mais complicado de ter sido feito. A história começa com uma curiosa Copa do Mundo de Quadribol e apresenta outras escolas que vão à Hogwarts para o Torneio Tribuxo. Os efeitos especiais são grande trunfo do filme, e nessas horas seus realizadores deviam odiar por momentos a imaginação fértil de Rowling. A produção de Mike Newell até conseguiu se sair como um bom filme de entretenimento, mas a necessidade de cortar diversas características do livro, prejudicou a dramatização do arco principal. É neste filme que Lord Voldmort aparece fortalecido e causando baixas. Depois, foi a vez de David Yates dar sua versão ao sucesso e sua condução tentando equilibrar questões dos livros e questões cinematográficas, agradou em cheio aos produtores que decidiram deixá-lo até o fim.

Harry Potter e a Ordem da Fênix traz de volta o lado sombrio mostrado no terceiro longa, e intensifica a complexidade do protagonista com seu fardo pesado de carregar. Além disso, é inserido os ingredientes básicos característicos da adolescência, como a sexualidade, insegurança e necessidade de se rebelar diante à injustiça. A crítica se estende até os meios de comunicação que podem ser corrompidos e controlar a opinião pública em busca de interesses. O trio de protagonistas Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint ganham mais oportunidades de atuar com a evolução da história. Em Harry Potter e o Enigma do Príncipe, a qualidade em dramatizar a história continua caminhando de bem com o livro, no entanto, o filme começa a perder o ritmo que seria necessário para um bom filme do gênero. A magia fica um pouco de lado e isso, em termos, decepciona. Nesse filme fica marcado relação de Alvo Dumbledore (Michael Gambon, substituindo o falecido Richard Harris) com Harry.

Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 1 também peca na falta de ritmo, porém, é compensada pela feliz escolha de explorar os personagens, algo cada vez menos levado em conta em grandes produções no cinema e na televisão. O filme ainda tem momentos que transparecem a metáfora de toda a história. A dificuldade de se crescer em condições obscuras. Valoriza o poder da amizade na luta contra o que pode ser um dos maiores problemas da humanidade: o preconceito e a intolerância pelos "diferentes". Na história, quando um ser muito poderoso quer extinguir a raça humana, dando lugar apenas aos bruxos - inclusive excluindo os de sangue misturado -, toda coragem e apoio são importantes. Nessas horas que o filme acerta o tom da história, provando que agora a magia não precisa ser necessariamente o trunfo dos filmes. Duas horas de ritmo lento acabam valendo a pena, ou a alusão ao maléfico nazismo não é atraente numa história como essa? É o momento das atuações do vilões célebres Bellatrix Lestrange (Helena Bonham Carter) e Lord Voldmort (Ralph Fiennes).

Finalizando com chave de ouro

Uma das maiores reclamações de quem acompanha a saga do bruxo, mas não se prendeu aos livros, é que diversas pontas ficaram soltas nos primeiros filmes e só agora foram fechadas. Lembrar de detalhes, de conversas, personagens e feitiços é uma tarefa árdua e que compromete a melhor compreensão da trama. E nessas horas fica perceptível todos os equívocos de uma má adaptação. Um bom filme, não precisaria da base do público aos livros para ter de compreender por completo a obra cinematográfica. E mesmo revisando os filmes, ao tentar explicar todos os detalhes e juntar todas pontas, fica complicado. Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 2 sofre com o mal de capítulos finais de franquias, que precisam explicar tudo toda hora, fazendo o trabalho que os outros filmes deixara à desejar. Um exemplo foi a má utilização do elfo Dobby, que serviu como alívio visual e de marketing no segundo filme, e sumiu até cumprir seu destino no último - só chorou quem leu os livros e sabe de sua real importância.

Mas não se pode culpar o estúdio por querer um entretenimento mais fácil e divertido. É por isso que na primeira parte do último filme da saga, ele é divido em duas: o cinema de ação e aventura com toques de comédia e nostalgia, e o segundo momento, mais complexo e que se importa em finalizar sem deixar nada sem explicar. A falta de ritmo da primeira parte, faz a experiência da segunda uma diversão prazerosa. Diversos cenários mostrados nos outros longas são novamente mostrados, seja na primara parte com o Ministério da Magia, e nesta segunda com o Banco Gringotes. A vila próxima da escola, Hogsmeade, também reaparece, só que mais sombria. Mas é Hogwarts palco da batalha final entre o bem e o mal. Junto com ela, personagens esquecidos em outros filmes tem seus momentos únicos. É o caso da Professora Minerva McGonagall (Maggie Smith), que rouba a cena nesse primeiro momento do filme. É dela os melhores alívios cômicos, quando a tensão apenas aumenta, além das frases mais corajosas e para manter a ordem. Neville Longbottom (Matthew David Lewis) também ganha importância, mas com menos impacto. O longa ainda tenta mostrar nem que por segundos diversos outros personagens que participaram dos primeiros filmes, aumentando ainda mais a vontade de rever os outros longas.

O segundo momento do filme serve para explicar tudo, além de finalizar a transformação de Harry em um herói completo. O tom épico dá lugar ao drama e a sensação de fim de novela, o ritmo cai intensamente. Um dos acertos foi ter essa catarse contada pela visão do Severo Snape (Alan Rickman - outro que teve seu momento), através de suas lembranças reveladas na Penseira. Lá descobre-se que Snape não é um traidor e sim uma espécie de espião que ajudou Dumbledore a salvar Harry Potter. Snape também sempre fora apaixonado pela mãe de Harry e guardou sua varinha. Mas após a cena que poderia ter finalizado bem a solução da trama, um confronto que aparentemente havia morrido, Harry surge com Dumbledore num cenário bastante iluminado, como alusão ao céu ou sub consciência. Essa cena parece que não foi muito bem adaptada, e provavelmente não faria grande diferença. Mas após esse momento Lost, finalmente a luta final eleva o tom épico e aguardado por 10 anos. O embate final é empolgante. E até mesmo o polêmico epílogo, que parece clichê de história qualquer, é satisfatório, já que assim foi a escolha da autora - apenas a indiferença do ator que faz o filho de Potter que chega ser constrangedora se comparado com o encantamento do pai no primeiro filme.

Uma trama tão bem elaborada - passiva de erros é claro -, que teve um inicio comum, mas se tornou uma aventura sem precedentes, apresentando personagens interessantes e mensagens positivas quando a sociedade está tomada pelo caos, fazem de Harry Potter um dos maiores contribuintes para a história do cinema de entretenimento. Sem ser pretensioso e juntando a uma mitologia sempre curiosa. No cinema, a experiência de seguir uma boa história com ou sem efeitos especiais dizem muito sobre o comportamento do público, principalmente nessa faixa etária. Quem disse que um jovem não pode ir assistir uma obra que toca em assuntos sérios, explora os desafios da idade, mas ali são transpostos como metáforas? Harry Potter foi além disso, ao juntar atores novatos e veteranos que proporcionaram momentos gloriosos conectando uma nova geração de astros com uma mais antiga. Não interessa se nem todos captam a mensagem, se alguns desses jovens debatem o que ali foi mostrado e a mensagem que está nas entrelinhas, isso já é suficiente. Afinal, Hollywood vive um momento de "robotização" preocupante, desvalorizando seus astros e apostando somente em efeitos especiais, 3D... E nesse caminho quem perde, é o público.

Divulgado o teaser trailer de 'The Dark Knight Rises'

Prévia tem poucas cenas inéditas



Finalmente, a Warner divulgou oficialmente a prévia de The Dark Knight Rises, filme que fecha uma nova trilogia do super herói Batman, dirigido pelo original Christopher Nolan. A prévia resgata cena dos filmes anteriores e insere, com bastante suspense, a nova trama, apresentando o novo vilão Bane (Tom Hardy) encarando Batman (Christian Bale) de frente. Veja a prévia:


Apesar dessa cena meio "vamos lutar boxe", o restante é bem empolgante se tratando de um teaser de um filme que segue o fantástico Batman - O Cavaleiro das Trevas e A Origem, do mesmo diretor. Repetem os personagens dos outros dois longas, Michael Caine, Gary Oldman e Morgan Freeman. Outros que entram são: Anne Hathaway, Joseph Gordon-Levitt, Marion Cotillard, Josh Pence, Juno Temple, Daniel Sunjata, Matthew Modine, Tom Conti, Joey King Brett Cullen e Chris Ellis.

O filme estreia em 20 de julho de 2012.

julho 18, 2011

Paramore lança clipe de 'Monster'

Visual é bem undergound e lembra fase inicial da banda


Finalmente foi divulgado o clipe de Monster do Paramore, que faz parte do álbum da trilha sonora oficial de Transformers 3 - O Lado Oculto da Lua. O clipe é bem simples, com planos da banda deitados sob a água, correndo no que parece ser um hospital abandonado e tudo explodindo ao redor. Lembra bastante o inicio da banda, antes do estouro com Riot.

Confira:

julho 17, 2011

Kasabian busca a liberdade em novo clipe, veja 'SwitchBlade Smiles''

Vídeo brinca com a percepção e contraste


O aguardado quarto disco da banda inglesa Kasabian, começa a dar sinais de vida. Chamado de Velociraptor!, o álbum tem como primeira single, a energética e alternativa SwitchBlade Smiles, mostrando que a banda continua abusando de sua marca registrada nas música, a mistura do bom rock'n'roll com um eletrorock. Para o visual, o quarteto preferiu um estúdio inteiramente branco e se vestiu de preto, e assim interpreta uma busca para se desprenderem a qualquer custo do ambiente dark, da qual, parecem presos. Será uma pista do que podemos aguardar do resto das músicas, mais sonoridade eletrônica, talvez? Faça sua interpretação:



O sucessor do ótimo West Ryder Pauper Lunatic Asylum, será lançado em 19 de setembro.

julho 14, 2011

Divulgado o trailer da fantasia 'Hugo', novo filme de Martin Scorsese

Fantasia transparece mão de Scorsese, mas visual não é tão original


A estreia do premiado diretor Martin Scorsese no mundo do 3D, ganhou seu primeiro trailer. Trata-de de Hugo, adaptação do livro A Invenção de Hugo Cabret de Brian Selznick . Entre um relance e outro, é possível perceber a identidade de Scorsese na produção, mas o tom de magia não se difere muito de produtos como Desventuras em Série e A Bússola de Ouro, no entanto, os efeitos especiais estão bem escondidos, o que não poderia ser diferente tratando-se do diretor. Confira o trailer:


Na trama do livro, Hugo (Asa Butterfield), é  um garoto de 12 anos que vive em uma estação de trem em Paris no começo do século 20. Seu pai, um relojoeiro que trabalhava em um museu, morre momentos depois de mostrar a Hugo a sua última descoberta: um androide, sentado numa escrivaninha, com uma caneta na mão, aguardando para escrever uma importante mensagem. O problema é que o menino não consegue ligar o robô, nem resolver o mistério. Fazem parte do longa: Chloë Moretz, Jude Law, Ray Winstone, Sacha Baron Cohen, Ben Kingsley, Christopher Lee, Helen McCrory, Frances de la Tour, Richard Griffiths, Michael Stuhlbarg e Emily Mortimer.

O lançamento é previsto para 23 de novembro nos EUA, buscando o lucro do Dia de Ação de Graças e em 20 de janeiro no Brasil.

Fonte: Omelete

Confira o trailer de 'Glee 3D'

Filme estreia em Agosto


Depois de fazer sucesso na televisão e na indústria da música, Glee se prepara para conqusitar os cinemas. Foi liberado o trailer do documentário Glee 3D, da qual, mostra os bastidores da turnê de sucesso, Glee Live! In Concert!, além das performances musicais.

Confira, e tente não rir da participação especial ao fim da prévia:


Dirigido por Kevin Tancharoen, o filme estreia dia 12 de agosto nos EUA.

Veja o trailer de 'John Carter', a nova aposta da Disney

Adaptação de sucesso literário substitui 'As Crônicas de Nárnia' na empresa


A Disney pode esta faturando seus bilhões com Piratas do Caribe, ou ter tido um trunfo com Alice no País das Maravilhas que engana com o 3D, além, claro de ser dona da Pixar, no entanto, não teve sorte com outras adaptações como O Príncipe da Pérsia, que não deve ter continuação, a desistência de As Crônicas de Nárnia, que migrou para a 20th Century Fox depois do fracasso do segundo filme e Tron - O Legado que mesmo com continuação garantida, decepcionou. Agora surge para a empresa do Mickey mais uma tentativa de criar uma franquia tão poderosa quanto Harry Potter tem sido para a Warner, ou mesmo Jack Sparrow sozinho tem sido para ela. A nova aposta é John Carter, adaptação de A Princesa de Marte (John Carter of Mars) saga de 11 volumes escrita por Edgar Rice Burrough (1875-1950), o mesmo de Tarzan.

O filme segue a jornada de John Carter (Taylor Kitsch), um veterano de guerra abduzido e transportado até Marte, onde vira prisioneiro de bárbaros verdes e precisa libertar a princesa Dejah Thoris (Lynn Collins) da tirania local. Fazem parte do elenco: Bryan Cranston, Willem Dafoe, James Purefoy, Mark Strong, Ciarán Hinds, Samantha Morton, Dominic West, Polly Walker e Thomas Haden Church.

Veja o trailer, que não empolga tanto, mas não deixa de ser interessante:

 
Dirigido por Andrew Stanton, responsável pelo novo clássico Wall-E, John Carter estreia em 9 de março de 2012.

'Mad Men', 'Boardwalk Empire' e 'Modern Family' dominam indicações ao Emmy 2011

Lista ainda traz ausências e surpresas marcantes


Foi divulgado na manhã desta quinta-feira, a lista dos indicados à 63ª edição do Emmy Awards 2011. Lideram indicações, Mad Men da AMC com 19 indicados, Boardwalk Empire da HBO com 18, e a comédia da ABC Modern Family com 17, grande parte relacionada ao elenco. Até ai nenhuma grande surpresa, já que Mad Men continua de alto nível, Boardwalk Empire é grandiosa, mesmo sem mostrar todo seu potencial e Modern Family é uma das melhores comédias atualmente.

A ausência sentida fica por conta de Breaking Bad que por motivos de datas ficou inelegível e Community, que apesar de eu não ver, muitos críticos acharam injustiçada. Game of Thrones emplacou algumas principais - mesmo que tímida (mas já é um avanço pelo gênero) -, assim como Glee, que mesmo não tão excepcional como na primeira temporada, ainda se sobressaiu. Outras apenas fizeram o dever de casa, como 30 Rock, Dexter e The Good Wife.

Com um ano muito positivo, a HBO segue como a campeã de indicações com 104. Falou-se muito em injustiça com Fringe, mas se o seriado não conseguiu nada na segunda temporada, que é a melhor até agora, John Noble e Anna Torv podem ir perdendo suas esperanças... Quem sabe numa temporada final? Fica o exemplo de Friday Night Lights demorou pra emplacar uma indicação como melhor drama, sabe-se que é uma forma de homenagear o ótimo seriado que o público rejeitou, mas quando trata-se de drama, as coisas são mais fáceis. Nem mesmo séries cômicas e muito boas como Nurse Jackie e The Big C se viram indicadas como melhor série de comédia, cada uma teve que se contentar com as atrizes principais indicadas. É estranho ver Grey's Anatomy tomando rumos interessantes e também sendo ignorada constantemente.

É saber se dia 18 de setembro, Mad Men e Modern Family vão seguir vencedores como ano passado. A disputa está acirrada!

Veja a lista de indicados:

PRINCIPAIS CATEGORIAS


Melhor Comédia
The Big Bang Theory
Glee
Modern Family
The Office
Parks and Recreation
30 Rock

Melhor Drama
Boardwalk Empire
Dexter
Friday Night Lights
Game Of Thrones
The Good Wife
Mad Men

Melhor Minissérie ou telefilme
Cinema Verite
Downton Abbey (Masterpiece)
The Kennedys
Mildred Pierce
The Pillars Of The Earth
Too Big To Fail

Melhor Programa de Variedades, Música ou Comédia
The Colbert Report
Conan
The Daily Show With Jon Stewart
Late Night With Jimmy Fallon
Real Time With Bill Maher
Saturday Night Live

Melhor Série de Não Ficção
American Masters
Anthony Bourdain: No Reservations
Biography
Moguls & Movie Stars
Pioneers Of Television
30 For 30

Melhor Programa de Realidade
Antiques Roadshow
Deadliest Catch
Hoarders
Kathy Griffin: My Life On The D-List
MythBusters
Undercover Boss

Melhor Reality Show de Competição
The Amazing Race
American Idol
Dancing With The Stars
Project Runway
So You Think You Can Dance
Top Chef

Melhor Desenho Animado
The Cleveland Show – Murray Christmas
Futurama – The Late Philip J. Fry
Robot Chicken: Star Wars Episode III
The Simpsons – Angry Dad The Movie
South Park – Crack Baby Athletic Association

Melhor Curta de Animação
Adventure Time – It Came From The Nightosphere
Disney Prep & Landing: Operation Secret Santa
Regular Show – Mordecai And The Rigbys
Robot Chicken – Robot Chicken’s DP Christmas Special
SpongeBob SquarePants – That Sinking Feeling

ELENCO
Melhor Ator em Série de Comédia
Jim Parsons – The Big Bang Theory
Johnny Galecki – The Big Bang Theory
Matt LeBlanc – Episodes
Louis C.K. – Louie
Steve Carell – The Office
Alec Baldwin – 30 Rock

Melhor Ator em Série Drama
Steve Buscemi – Boardwalk Empire
Michael C. Hall – Dexter
Kyle Chandler – Friday Night Lights
Hugh Laurie – House
Timothy Olyphant – Justified
Jon Hamm – Mad Men

Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme
Edgar Ramirez – Carlos
Greg Kinnear – The Kennedys
Barry Pepper – The Kennedys
Idris Elba – Luther
Laurence Fishburne – Thurgood
William Hurt – Too Big To Fail

Melhor Atriz em Série de Comédia
Laura Linney – The Big C
Melissa McCarthy – Mike & Molly
Edie Falco – Nurse Jackie
Amy Poehler – Parks And Recreation
Martha Plimpton – Raising Hope
Tina Fey – 30 Rock

Melhor Atriz em Série Drama
Connie Britton – Friday Night Lights
Julianna Margulies – The Good Wife
Kathy Bates – Harry’s Law
Mireille Enos – The Killing
Mariska Hargitay – Law & Order: Special Victims Unit
Elisabeth Moss – Mad Men

Melhor Atriz em Minissérie ou Telefilme
Diane Lane – Cinema Verite
Elizabeth McGovern – Downton Abbey (Masterpiece)
Kate Winslet – Mildred Pierce
Taraji P. Henson – Taken From Me: The Tiffany Rubin Story
Jean Marsh – Upstairs Downstairs (Masterpiece)

Melhor Ator Coadjuvante em Comédia
Chris Colfer – Glee
Jesse Tyler Ferguson – Modern Family
Ed O’Neill – Modern Family
Eric Stonestreet – Modern Family
Ty Burrell – Modern Family
Jon Cryer – Two And A Half Men

Melhor Ator Coadjuvante em Drama
Peter Dinklage – Game Of Thrones
Josh Charles – The Good Wife
Alan Cumming – The Good Wife
Walton Goggins – Justified
John Slattery – Mad Men
Andre Braugher – Men Of A Certain Age

Melhor Ator Coadjuvante em Minissérie ou Telefilme
Tom Wilkinson – The Kennedys
Guy Pearce – Mildred Pierce
Brian F. O’Byrne – Mildred Pierce
Paul Giamatti – Too Big To Fail
James Woods – Too Big To Fail

Melhor Atriz Coadjuvante em Comédia
Jane Lynch – Glee
Betty White – Hot In Cleveland
Julie Bowen – Modern Family
Sofia Vergara – Modern Family
Kristen Wiig – Saturday Night Live
Jane Krakowski – 30 Rock

Melhor Atriz Coadjuvante em Drama
Kelly Macdonald – Boardwalk Empire
Archie Panjabi – The Good Wife
Christine Baranski – The Good Wife
Margo Martindale – Justified
Michelle Forbes – The Killing
Christina Hendricks – Mad Men

Melhor Ator Coadjuvante em Minissérie ou Telefilme
Maggie Smith – Downton Abbey (Masterpiece)
Evan Rachel Wood – Mildred Pierce
Melissa Leo – Mildred Pierce
Mare Winningham – Mildred Pierce
Eileen Atkins – Upstairs Downstairs (Masterpiece)

Melhor Ator Convidado em Comédia
Idris Elba – The Big C
Nathan Lane – Modern Family
Zach Galifianakis – Saturday Night Live
Justin Timberlake – Saturday Night Live
Matt Damon – 30 Rock
Will Arnett – 30 Rock

Melhor Ator Convidado em Drama
Bruce Dern – Big Love
Beau Bridges – Brothers and Sisters
Michael J. Fox – The Good Wife
Paul McCrane – Harry’s Law
Jeremy Davies – Justified
Robert Morse – Mad Men

Melhor Atriz Convidada em Comédia
Kristin Chenoweth – Glee
Dot-Marie Jones – Glee
Gwyneth Paltrow – Glee
Cloris Leachman – Raising Hope
Tina Fey – Saturday Night Live
Elizabeth Banks – 30 Rock

Melhor Atriz Convidada em Drama
Mary McDonnell – The Closer
Julia Stiles – Dexter
Loretta Devine – Grey’s Anatomy
Randee Heller – Mad Men
Cara Buono – Mad Men
Joan Cusack – Shameless
Alfre Woodard – True Blood

Melhor Apresentador de Reality Show
Phil Keoghan – The Amazing Race
Ryan Seacrest – American Idol
Tom Bergeron – Dancing With The Stars
Cat Deeley – So You Think You Can Dance
Jeff Probst – Survivor


julho 13, 2011

'Contágio', novo filme de Steven Soderbergh, ganha trailer

 Prévia cheia de rostos famosos e anuncia um suposto apocalipse


Foi divulgado o primeiro trailer do thriller de ação e suspense Contágio (Contagion), novo filme de Steven Soderbergh. O trailer apresenta uma história que volte e meia torna-se realidade e ganham o noticiário internacional com os diversos vírus e bactérias que se alastram com o potencial de contagiar diferentes continentes - claro que em proporções menores que a do filme.

Veja o trailer:



A trama é sobre um vírus letal que se espalha no ar pelos quatro continentes. Após a infestação, a história foca em um grupo internacional de médicos que precisam lidar com a situação. Além disso, o filme irá tratar a questão de como as pessoas são afetadas psicologicamente em uma situação extrema.

Fazem parte do elenco: Matt Damon, Kate Winslet, Jude Law, Marion Cotillard, Laurence Fishburne, Gwyneth Paltrow, John Hawkes, Demetri Martin, Bryan Cranston e Elliott Gould.

Contágio
tem lançamento previsto para 9 de setembro nos EUA e 28 de outubro no Brasil.
Fonte: Omelete e Cinema com rapadura

Muita ação e humor no trailer de 'Sherlock Holmes 2', confira!

 Robert Downey Jr. segue roubando a cena


  Foi divulgado o primeiro trailer de Sherlock Holmes: A Game of Shadows, continuação do sucesso de 2009 que traz, novamente, Robert Downey Jr. como Holmes e Jude Law como Watson. O estilo parece o mesmo, contando com diversas cenas de ação e humor, o que não é surpresa já que a fórmula levou US$ 524 milhões para os cofres da Warner Bros. Os personagens inseridos desta vez são: a vidente vivida por Noomi Rapace e o vilão Moriarty (Jared Harris).

Confira o trailer:



Na trama, o príncipe da Áustria é encontrado morto após supostamente cometer suicídio, mas Holmes acredita que se trata de um plano maligno criado pelo Professor Moriarty, um homem tão inteligente quanto ele. Ao lado de Watson e da vidente Sim, que possui uma ligação com o príncipe, o famoso detetive britânico tenta desvendar o caso mais difícil de sua carreira.

Fazem parte do elenco ainda: Stephen Fry, Rachel McAdams e Eddie Marsan. Dirigido novamento por Guy Ritchie, o filme chega aos cinemas brasileiros no dia 13 de janeiro de 2012. Nos Estados Unidos, o longa estreia em 16 de dezembro deste ano.
fonte:cineclick

julho 11, 2011

'True Blood' inicia quarta temporada sem impressionar

Sexo, fadas, violência, vampiros, bruxas... de novo.



Sem esperar muito da nova temporada de True Blood, depois de uma temporada que pouco surpreendeu, o que foi visto no recomeço da série foi exatamente uma tentativa de criar novas tramas tão empolgantes quanto das primeiras temporadas. E neste domingo, a HBO Brasil, estreou a quarta temporada com alguns avanços e uma tentativa perceptível de criar fôlego ao dar novas perspectivas aos personagens em uma passagem de ano - artifício já conhecido em séries veteranas como Desperate Housewives, Brothers & Sisters, One Tree Hill e, em breve, em Dexter.

A cena inicial, já revelada com certo tempo, traz Sookie (Anna Paquin) no mundo das fadas. Se o mistério da protagonista eram uma das coisas mais interessantes e motivantes de se acompanhar o seriado, seu rumo torna-se cada vez mais bizarro e ao mesmo tempo decepcionante. Um dos trunfos, transformou-se em uma história de fadas malvadas e caçadoras de humanos, desafiando o que parecia ser o lado positivo e heróico da trama. Só que os primeiros minutos, cheios de ação e efeitos, mostraram tudo, entregando de graça o que poderia ser uma surpresa mais adiante. Beirou ao trash e patético em determinados momentos. Ou a Sookie ainda acha que só ela podia falar pelos pensamentos e nenhuma fada iria ouvir?

Após esse começo bem acelerado e revelador, o resto do episódio apoiou-se ao mostrar como os outros personagens seguiram sua vida sem Sookie. Para driblar a falta de rumo do arco anterior, decidiram adiantar a trama e assim arrumar fôlego sem precisar caminhar com cada personagem até o que ele viria se transformar. O pretexto arranjado pelos roteiristas é que no mundo das fadas o tempo é diferente, que Sookie ficou apenas meia hora no outro mundo, sendo que na Terra se passaram cerca de um ano. Algo até fácil de aceitar, mas que não assume diretamente algo que não vai bem.

Lafayette (Nelsan Ellis) e seu namorado podem prometer surpresas com o envolvimento com bruxas, inclusive uma "espiã". Mas de resto, a nova realidade dos personagens pouco impressiona. Tara (Rutina Wesley) agora é lutadora e lésbica, revelação que só serviu mesmo para uma cena de sexo dela com outra mulher; Sam (Sam Trammell) agora tem amiguinhos como ele e ainda conseguiu aquela cena constrangedora de passeio noturno entre cavalos; Jessica (Deborah Ann Woll) é uma dona de casa desesperada; Pam (Kristin Bauer) continua sendo uma bitch coadjuvante; Erick (Alexander Skarsgård) continua tentando assustar e conquistar Sookie; Jason (Ryan Kwanten) continua sendo um sonso; Bill (Stephen Moyer) ganhou o título de mais 'chato ainda' agora que é porta voz da paz e amor entre vampiros e humanos; enquanto o Alcides (Joe Manganiello) não apareceu e pelo jeito vai continuar sendo enrolado e não fazer nada.


Resta esperar se o desenrolar da temporada vai engrenar e apresentar mais episódios interessantes que os minguados da terceira temporada. True Blood passou de uma hora para outra enganar o telespectador com uma trama boba e maquiando o roteiro ruim com muito sexo, violência e bizarrices. O problema é que seu começo fazia isso de forma genial, com bons ganchos e suspense. Hoje em dia, as bizarrices, sexo e violência ficam por conta de Game of Thrones, mas trata-se de uma série que apresenta uma trama bem elaborada e com momentos fulminantes, coisa que os vampiros deixaram de fazer há tempos.


True Blood é exibida todos os domingos na HBO Brasil e na HBO HD.

'As Aventuras de TinTim' ganha trailer completo

Prévia revela mais ação


Depois do alardeado teaser, As Aventuras de Tintim: O Segredo do Unicórnio, ganha seu primeiro trailer completo. Tem mais ação e comédia, além de apresentar melhor os coadjuvantes. Dirigida por Steven Spielberg - que desde 1983 tenta levar o personagem aos cinemas -, a produção tem como base as histórias em quadrinhos criadas pelo belga Georges Remi, sob o pseudônimo de Hergé, em 1929. Com ideia inicial de produzir uma série com três filmes ao lado de Peter Jackson, a produção foi filmada com atores, que ganharam versão animada por CGI com exibição em 3D. Veja o trailer:



Na história, quando Tintim (Jamie Bell), encontra-se pela primeira vez com o Capitão Haddock (Andy Serkis), descobre uma pista que os levarão ao tesouro de Sir Francis Haddock, um ancestral do capitão. Com a ajuda dos detetives Thompson e Thomson (Simon Pegg e Nick Frost), o grupo parte em busca do tesouro. No elenco também estão Daniel Craig, Tony Curran, Toby Jones, Gad Elmaleh e Mackenzie Crook. O longa estreia em 23 de dezembro.

julho 10, 2011

Veja o trailer de 'Inquietos', novo filme de Gus Van Sant

Filme estreia em outubro


O filme Inquietos (Restless) não conseguiu se sobressair no Festival de Cannes, apesar do forte nome de Gus Van Sant na direção. O novo filme do diretor de Milk - A Voz da Igualdade, Elefante e Paranoid Park, entre outros, ao menos foi elogiado pelas atuações, a química dos protagonistas e a sensibilidade da historia, como aparece no trailer. Confira:


A produção segue dois jovens (Mia Wasikowska e Henry Hopper) que partilham a mesma preocupação com a mortalidade, a partir do momento em que a jovem com 16 anos de idade descobre que tem uma doença terminal e se apaixona por um rapaz marginalizado que sofre com a morte da sua família - o que de alguma forma produz um fantasma de um piloto japonês kamikaze da Segunda Guerra Mundial.

O longa estreia em 16 de setembro nos EUA e em 28 de outubro no Brasil.

Fonte: Splitscreen

julho 07, 2011

'A Dama de Ferro': Veja Meryl Streep como Primeira-Ministra da Inglaterra

Atriz aparece irreconhecível

Mais uma prova de fogo para a veterana Meryl Streep, atriz indicada à 16 estatuetas do Oscar e 27 do Globo de Ouro, sendo vencedora dois do primeiro prêmio e sete do outro, respectivamente. Foi liberado o primeiro teaser trailer de A Dama de Ferro (The Iron Lady), filme, da qual, ela interpreta a Primeira-Ministra da Inglaterra Margaret Thatcher, que na década de 80 passou por várias turbulências em seu governo. Veja a prévia:


O roteiro vai seguir a trajetória de Thatcher como uma cinebiografia, da sua infância até o período mais sombrio do seu governo, em 1982, quando tentava salvar sua carreira nos 17 dias que antecederam a Guerra das Malvinas. O conflito armado, que durou dois meses e meio, foi uma reviravolta para Thatcher, que, após a vitória na guerra, conseguiu se reeleger para um segundo mandato.

Fazem parte do elenco: Jim Broadbent, Richard E. Grant, Olivia Colman, Nicholas Farrell, Susan Brown, Roger Allam, Anthony Head e John Sessions. Dirigido por Phyllida Lloyd, A Dama de Ferro estreia em janeiro no mercado internacional, mas em 16 de dezembro nos EUA - período conhecido como o mais agitado para filmes que almejam uma indicação ao Oscar. Alguém dúvida que ela tem potencial de chegar lá mais uma vez?

fonte: Omelete, Rolling Stones e Wikipédia.

Arctic Monkeys passeia por Los Angeles em novo clipe

Vídeo é com a música The Hellcat Spangled Shalalala


Continuando a promoção do mais novo álbum, Suck it and See, os ingleses do Arctic Monkeys lançam o segundo single do trabalho. Após a psicodelica do clipe de Don’t Sit Down ‘Cause I’ve Moved Your Chair, é hora da banda passear pela ensolarada Los Angeles e registrar seus passos, seja na estrada ou nos palcos. Confira o vídeo de The Hellcat Spangled Shalalala:

julho 06, 2011

Veja o trailer do drama nacional '180º'

Triângulo amoroso com grande mistério


Dois grandes lançamentos do cinema nacional ocorrem no intenso mês de julho prontos para baterem de frente com blockbusters americanos. Um é a comédia Cilada.com com Bruno Mazzo, e o outro é o filme de ação Assalto ao Banco Central. Correndo por fora e chegando apenas em setembro, 180º promete menos badalação e ser uma provável surpresa. O filme é dirigido pelo estreante Eduardo Vaisman.

Confira o trailer:


A história é sobre Anna, Russell e Bernardo que vivem um triângulo amoroso, da qual, esconde a verdadeira autoria de um livro de sucesso. Eles vivem uma história de amor, na qual nada, nem ninguém, é o que parece ser, e guardam as peças de um intrincado quebra-cabeças, cuja solução está tanto no presente quanto no passado. Fazem parte do elenco: Eduardo Moscovis, Malu Galli, Felipe Abi.