dezembro 31, 2008

Street Fighter: Legend of Chun-Li - Trailer Premiere

Desculpa a falta de atualização no ínicio dessa semana galera, aconteceram imprevistos que vocês não desejam imaginar acontecendo com vocês ou não desejam nem para seu pior inimigo. Enfim, estou aqui e trago uma novidade quente pra você:


Street Fighter: Legend of Chun-Li é a mais nova adaptação de games a ganhar as telas, e na última segunda-feira, o primeiro teaser vazou na net. Todo narrado em japonês, temos cenas de ação, lutas e a bonitinha Kristin Kreuk como Chun-li. Mas o guerreiro que tem certo destaque, e chama atenção é o misterioso Vegas.

Confira:



O filme vai ser lançado aqui em 13 de março. Nessa prévia eu não boto muita fé não. Mas tenho esperanças.

Sete Vidas

Will Smith volta a aparecer em uma sessão: "vamos chorar um pouco?"


Se tem um ator que mostra um carisma incrível nas telonas, seja em um papel dramático, de herói ou numa comédia besteirol, ele se chama Will Smith. E depois da sua badalada e elogiada performace no drama À Procura da Felicidade, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar, ele volta num filme ainda mais dramático e com o carisma inabalável.

Sete Vidas conta a história de um agente da Receita dos Estados Unidos chamado Ben Thomas (Will Smith). E ele está disposto a encontrar sete pessoas dignas de serem ajudadas, seja dando um tempo para se acertar com o "leão" ou apenas os livrando de doenças e de pessoas que perturbam a paz. Mas claro, ele busca conhecer bem o passado dessas pessoas e saber se elas precisam mesmo de ajuda. Durante o filme é mostrado ele conhecendo as tais pessoas e ajudando gradativamente. Isso tudo ainda em meio a flashbacks que mais tarde mostram o motivo dele está fazendo isso. O filme passa por uma parte de suspense que dá uma agonia e em momentos chega a causar confusão no público, que tenta montar o quebra-cabeças. A primeira peça é a que guia as outras, bem no início do filme, em uma cena dele ligando para a emergência e pedindo uma ambulância para o seu suícidio. Daí personagens são apresentados.


Em uma parte do filme, a personagem Emily Posa (interpretado pela ótima Rosaria Dawson), uma tipógrafa com problemas cardíacos - em parceria com seu simpático dogue alemão - acaba sendo uma das mais difíceis pessoas a cederem à ajuda dele. Mas por um momento ela acredita nele e abre seus sentimentos de forma surge o romance do filme. O problema é que isso ocorre e ele decide não se deixar levar pela emoção e quer continuar o plano de ajudar as sete pessoas.

Com direção do cineasta italiano Gabriele Muccino, que o dirigiu em À Procura de Felicidade, Will Smith acaba fazendo uma ponte entre os dois personagens, só que dessa vez ele age de forma heróica ao extremo, e isso parece ter desapontado alguns críticos. Bom, acredito que um papel desses não podia ser pra qualquer ator.

Sete Vidas é feito de modo que o leve à lágrimas no final, pois forçando ou não, joga peças que vão deixando mais fácil o quebra-cabeças a ser finalizado, e antes mesmo de você não queira terminar de montar as peças, você já se pega chorando. A cena impactante e que funciona como um soco no estômago dos mais sensíveis perto do final. E essa montagem do romance no meio da trama, é despedaçada em uma cena violenta. E o final heróico pode ser mais um tapa na cara de quem se leva pelo carisma tanto do ator, quanto do personagem. Memorável. [Nota: 10]

dezembro 24, 2008

Feliz Natal! E... Obrigadoooo meu povooo!



Galera, queria agradecer ao número de acessos desses últimos dias que me deixaram muito animado, apesar de levar isso aqui mais como um treino, fico grato de saber que não to falando com as paredes. Obrigado mesmo! Estão fazendo o natal de uma pessoa feliz! ^^

Feliz Natal galera, e pode ser que o número de posts nesses últimos dias de dezembro diminuam, obviamente, mas tentarei ao máximo trazer novidades e falar mal das coisas que mereçam. ~^ Eu quero ir ao cinema ver Marley e Eu... Quem sabe não rola uma crítica sobre o filme?... Bom vamos deixar rolar... kkkk

Boas festas para todos!

Monstros vs. Alienígenas - Trailer Premiere

Novo trailer da animação traz mais ação e comédia


Esse ano o que tivemos de longas de animação, é incrível, a Disney com a Pixar nos presenteou com uma lição de vida ao levar pras telas o robô abandonado por humanos preguiçosos e alienados pelas máquinas, no elogiado Wall.e, um dos melhores filmes conforme minha lista ai do lado. Tivemos a primeira aventura do Kung Fu Panda, que com certeza terá continuação, e o engraçado e genial, Madagascar, que trouxe elementos novos a trama, e como sempre, exaltando a natureza, o que torna um diferencial - ou nem tanto- entre esse tipo de filme.

Ano que vem está programada a estréia de Monstros vs. Alienígenas, da mesma DreamWorks que produziu os dois últimos citados no parágrafo acima. O filme é uma homenagem aos anos 50, onde o planeta enfrentava ataques de monstros, E.Ts e derivados, tudo isso claro, fruto da mídia. Trata-se de uma reinvenção desse estilo de filme de desatres e monstros mas transformado em a comédia, claro.

Na comédia de ação, uma equipe de monstros precisa defender a Terra de um ataque alienígena. A equipe é composta pelo inseto Dr. Cockroach, o meio-macaco meio-peixe Missing Link, o gelatinoso e indestrutível B.O.B., o indescritível bicho de cem metros de altura chamado Insectosaurus e a garota gigante Susan Murphy (essa com a dublagem da atriz Reese Whiterspoon).

Confira o trailer:

É, pelo jeito o filme promete e comprova que a animação deixou de ser coisa infantil. O filme estréia em 27 de março.

dezembro 23, 2008

Katy Perry "Thinkin Of You" - Video Premiere

Terceiro single do álbum One of the Boys é balada sentimental

A cantora do hit lésbico I Kissed a Girl lançou um outro vídeo para a balada Thinkin Of You. No primeiro vídeo ela aparece como uma assassina do próprio namorado, eu achei até pesado o vídeo, apesar de não mostrar muita coisa, mas o fato do peso emocional que a canção possui o deixa indigesto assistir, e o resultado ficou meio trash.


Por vergonha ou pelas vendas que estão indo bem, um novo vídeo melhor produzido está sendo lançando. Sabe o que é engraçado? O primeiro vídeo foi retirado do You Tube, você que não viu, não vai ver nunca mais. Contente-se então com apenas nova versão mais doce e romântica, mas com um final triste.

Tem de tudo, cenas românticas na cama, na bicicleta, no lago e no piquenique. Tem sutiã sobrando, visual retrô, festa e em oposição guerra, no fim sobra as lágrimas. O melhor trabalho da Katy Perry até aqui, pena que a música não passa de mais uma canção pop melosa a là Kelly Clarkson.

Confira:

Velozes e Furiosos 4 - Trailer e pôster

Filme que vai reunir astros do primeiro, tem empolgante vídeo


O ano que vem aguarda muitos lançamentos que tem como garantia de lucros nas bilheterias, pois graças aos fãs fiéis, algumas são seqüências que se mantêm firmes e fortes.

Mas uma dessas histórias andou meio perdida, chegou a parar em Tóquio, e agora para a felicidade dos fãs vai voltar com força total. Estou falando de Velozes e Furiosos 4. Eu adorei o primeiro filme, e mesmo sem Vin Diesel no segundo, eu gostei, mas o terceiro sem Paul Walker já foi complicado engolir.

E além de contar com a volta da dupla, temos o retorno de suas preciosidades do original, Michelle Rodriguez, que andou meio Lost no Hawai e Jordana Brewster que andou sendo perseguida por um maníaco com uma serra elétrica no Texas. Fiquei ancioso pra assistir! Olha o postêr ai do lado que super original.

Eu quero ver esse filme! Quem mais??

Bom, a história é a seguinte: O ex-presidiário e fugitivo Dom Toretto (Vin Diesel) reencontra o agente Brian O'Conner (Paul Walker) quando um crime faz com que eles voltem a Los Angeles. Forçados a confrontar um inimigo em comum, Dom e Brian precisam construir uma nova aliança e confiança se quiserem derrubá-lo.

O lançamento acontece em 3 de abril de 2009.

Por enquanto nos contentamos apenas com um teaser trailer:

dezembro 22, 2008

Nx Zero - Daqui pra Frente Video Premiere

Banda de rock emo tenta, mas morre na praia - literalmente


A banda brasileira do momento é sem dúvida alguma o Nx Zero. E vocês já devem ter visto esse vídeo na MTV, ou na Mix TV, mas como eu não tinha nada pra postar nessa segunda-feira, resolvi postar o novo clipe dos caras, Daqui pra Frente. Sim, é a música de abertura da novela teen, Malhação.

O clipe ficaria até legalzinho, se não fosse o final esquisito. Gente, quem tem essas idéias gêniais? Confira:



Então? Gostou? Eu imaginava... Poxa, mas é o Nx Zero! Vai falar que não vale pelo Di em sua atuação drama/comédia?

E amanhã vocês rezem pra ter algo interessante pra postar, se não vou enfiar as fotos do topless da Amy Winehouse aqui.

dezembro 19, 2008

Crepúsculo

Sensação do momento é meloso de doer e tende a agradar público específico



Se você já passou dos 18 anos e está acostumado com filmes de vampiros em que sexo e violência são as principais atrações do roteiro, pode passar longe das salas de cinemas que estejam exibindo o fenômeno Crepúsculo. Não que você já não esteja fazendo isso, pois já imaginava o conteúdo, então alerto: não caia em tentação. Vai se arrepender. E não que o filme seja ruim. Não que a história seja desinteressante. Mas o filme força na dose de ser um romance teen e acaba com a clássica história de vampiros característicos.

A produção aproveitou o vácuo deixado esse ano pelo bruxo Harry Potter, e estreou a outra adaptação de uma febre literária no dia em que chegaria aos cinema O Enigma do Príncipe - adiado para o meio do ano que vem -da qual, sabemos ser uma diversão mais bem produzida, rica em personagens, com atores mais bem preparados e sem os clichês adolescentes. Mas não que o primeiro filme da série tenha conseguido nos deixar sentir uma ponta de decepção, claro. E por isso Crepúsculo ainda possa ter um futuro bom. Mas por que estou comparando tanto a produção de vampiros e bruxos? Porque o público é o mesmo. Ambos são adaptações de best sellers e trazem no seu contexto o mundo infanto-juvenil, suas descobertas, aventuras, desilusões e amores. Mas não vou ficar comparando, não posso fazer isso. Não agora.


A história da jovem Bella Swan, de apenas 17 anos - interpretada pela linda e talentosa Kristen Stewart, mas que aqui não conseguiu ser muito carismática - começa quando muda de cidade e vai morar com o pai, já que sua mãe tem um companheiro novo e decidi ir para outro lugar. Na outra cidade, Bella precisa passar pelo princiapal drama dos adolescentes, o primeiro dia de aula em um colégio novo. E claro, em todos os colégios americanos as tribos são bem definidas, e aqui tem um grupo novo, da qual ninguém conversa com eles. Esses são cheios de pó de arroz na cara e fazem pose de populares e independentes. Esse momento chega a ser constrangedor ter que engolir tal grupo, tal maquiagem absurda e todos os tratando normalmente. Perdão em comparar, mas é como se alguém com chapéu de bruxo entrasse na sua sala e sentasse atrás de você e todos achassem normal. Até ai, eu já estava em um dos meus momentos de desespero com garotinhas desesperadas gritando dentro do cinema, e uma dessas filha da ... sentou-se na minha fileira. Toda euforia, por causa do ator Robert Pattinson que interpreta o vampiro Edward Cullen. Estranho esse escândalo todo, pois quando ele fez Harry Potter, em que interpretou o Cedrico - que morre no 4º filme da série -, ninguém gritava quando ele aparecia em cena. Sinal de puro modismo no ar.

Ela se apaixona por ele, e a garota que não é idiota por muito tempo, é inteligente o suficiente pra juntar as pistas deixadas por ele, e procurar o tipo de comportamento demonstrado por essa criatura no Google. Bem sensato e moderno. Então descobre que ele é um vampiro. Ela não mencionou a cara pálida (!) era pra ser normal mesmo?! Ele retribui o amor dela e promete não machucá-la e blá blá blá, isso dura uma hora e meia de projeção com muita cena romântica - melosa ao extremo - e as meninhas enquanto isso suspirando pelas frases clichês ditas por ele, que promete o amor eterno mesmo sendo proibido aos dois. Até que então um esquisitão que é conhecido da família dele, e tem cometido mortes na região, quer mordê-la de qualquer jeito, ai todos a protegem.

Tem uma cena de ação no filme inteiro, perto do final. E é isso. Crepúsculo agrada a essas meninas que se colocam no lugar da personagem e buscam uma aventura amorosa com um vampiro.  A história não dá pra questionar, pois tem público definido, mas levar pras telas de cinema uma história que não busca atrair um outro tipo de público, me parece burrice. O que custa inventar uma lutinha de vampiros? Ou mostrar na integra os ataques dos vampiros que caçam na região? Ah! Harry Potter faz isso e as criancinhas amam! Pedem pra ver novamente. Meu sobrinho de 5 anos ama Harry Potter, e tenho certeza que vai odiar assistir Crepúsculo, vai achar chato. Assim como garotos da minha idade - e até garotas mesmo. Isso só pode ter um motivo, a não ser despreparo... Falta de dinheiro pra fazer algo mais emocionante e que não precisa apelar tanto pra ceninhas à la High School Music e afins. Mas agora eles têm a grana, e daqui um ano veremos o resultado, que com um diretor mais interessante, Chris Weitz de A Bússola de Ouro, possa contextualizar a sequência para um público maior e trazer mais fantasia e ação. [Nota: 7,5]

Por enquanto, sinto falta da Buffy.

dezembro 16, 2008

Chris Cornell "Scream" - Video Premiere



Chris Cornell é um músico que não cansa de tentar coisas novas, depois de conseguir respeito com bandas como Soundgarden - que fez um estrondoso sucesso em meados dos anos 90, apostando na moda grunge impulsionada pelo Nirvana - e Audioslave da qual teve três álbuns lançados, além de um DVD gravado em Cuba.

Porém, antes do Audioslave ele já havia lançado um album solo, e agora esta prestes a repetir o feito com o álbum Scream, produzido pelo favorito do momento: Timbaland. O primeiro single Ground Zero, foi lançado em novembro sem grande repercurssão, mas Scream, que estreou hoje, já foi tema de um episódio da série One Tree Hill.

O som tem características do produtor, mas traz desta vez uma melodia ainda mais envolvente. O que pode fazer fãs mais assíduos do cantor estranharem. Mas esse é Chris Cornell, nunca parando e sempre tentado algo novo. Apesar de nos fazer sentir falta do Audioslave.

O clipe tem takes em uma exposição de arte, e ficou bem legal. Confira o resultado:



O álbum Scream, tem data marcada de lançamento 3 de fevereiro.

dezembro 15, 2008

X-Men Origins: Wolverine - Trailer

E saiu o tão aguardado trailer do filme que conta a história do mutante mais querido dos x-mens.
E esse filme promete! Ahh se promete!

X-MEN ORIGINS: WOLVERINE HD




Se preferir, o site Omelete tem o trailer, e você pode ver aqui.

A grande estréia é em 1º de Maio de 2009.

dezembro 12, 2008

Cinema nacional sem preconceitos

Linha de Passe, Última parada 174 e Romance: cinema nacional de qualidade.


Ir ao cinema ultimamente pra mim tem sido, digamos, prazeroso. E isso não se deve as superproduções hollywoodianas ou filmes cults europeus e asiáticos. O mérito vai todo para o nosso simplório cinema brasileiro. Resultado de um investimento maior e da colaboração - mesmo que forçada das grandes empresas, que ganham isenção na hora de pagar impostos quando apóiam tal investimento (por isso tantos patrocinadores nos créditos iniciais) – tem surtido resultado memorável. Mesmo que seja uma adaptação da TV ou uma comédia inflada com astros da TV Globo, o cinema brasileiro tem tudo para crescer e enfim ser tratado como uma grande indústria que gera empregos e faz o Brasil crescer como forma de exportar e importar nossa cultura e arte.

Se antes o nosso cinema era conhecido por sangue ou risos, da qual, se destacavam produções como as de Guel Arraes (O Auto da Compadecida, Lisbela e o Prisioneiro), Bruno Barreto (O que é isso companheiro?), Walter Salles (Central do Brasil) e Fernando Meirelles (Cidade de Deus) e Hector Babenco (Carandiru), ele agora tem mais diversidade, tem mais acertos que erros, o que pode dar mais escolha ao telespectador. Ao decorrer do tempo, esses diretores que começam a ganhar visibilidade internacional, dão lugar a novos cineastas que acreditam nos potenciais roteiros brasileiros a serem absorvidos da nossa cultura para a grande tela. É o caso do sucesso absoluto de Tropa de Elite, que foi o auge da temática violenta da real situação social do Brasil. Meu nome não é Johnny até tentou nesse ano inovar o gênero, foi um grande sucesso, mas está longe do impacto provocado no filme estrelado por Wagner Moura.

Estrelas. É isso que o cinema nacional precisa dar valor. Afinal, não é todo filme que tem Wagner Moura, Selton Melo ou Rodrigo Santoro que é um extremo sucesso. Isso podia ser mais bem trabalhado. Pois, os diretores já estão com seu grande espaço garantido. A seguir, três filmes que merecem destaque:

LINHA DE PASSE



Pra começar, o que merece minha grande consideração é o melancólico e dramático Linha de Passe. Walter Salles volta a dirigir no Brasil depois de passar pelo cinema americano com o remake oriental Água Negra. Anos depois do grande sucesso Central do Brasil, Walter acerta novamente. Especialista em mostrar personagens com sentimentos à flor da pele e a vida limitada que muitas pessoas têm desde seu nascimento até a vida adulta. Histórias de personagens de uma mesma família e seus sonhos remendados por válvulas de escape conhecidas de quem mora nas grandes metrópoles brasileiras. Ser evangélico, criminoso ou jogador de futebol. Ele retrata isso com uma edição que une todos os planos, mostrando que isso tudo é parte de uma sociedade, da qual, a pia continua entupida há tempos e por mais força que você tenha, é difícil desentupir – aproveitei umas das ótimas metáforas do filme para explicar a tal mensagem do longa. Ainda no roteiro, são tratados temas pertinentes a nossa sociedade como ver e o enxergar - em uma cena crucial com o diálogo de um motoboy e um motorista de carro – a falta de esperança, como a criança que entra de ônibus em ônibus à procura do seu pai – sua única informação é que ele é motorista – e o princípio dessa desestrutura familiar: a matriarca completamente perdida, grávida, sem mesmo saber o nome do pai desse filho. Melancólico, envolvente, dramático, violento (psicologicamente falando). Linha de Passe a meu ver é o melhor filme nacional do ano. *****

 Site Oficial do filme: www.paramountpictures.com.br/linhadepasse


 ROMANCE


Romance foi o último visto por mim. E foi uma experiência fantástica. Tudo estava em perfeita sintonia. Trilha sonora, roteiro, atuações, fotografia, edição e direção. Uma qualidade impressionante para um filme que não teria necessidade para tanto, como os filmes de teor mais realista. Guel Arraes marcou sua identidade em transpor uma história de amor, como a de Tristão e Isolda, na narrativa do filme, para o sertão nordestino, mais uma vez com um elenco de peso: Letícia Sabatella, Wagner Moura, Andréa Beltrão e Marco Nanini. Uma história de amor que passa por um momento doloroso com uma separação triste, dolorosa, e que muito me fez lembrar-se do vislumbraste Moulin Rouge. Mas o filme infelizmente tem seus deslizes. Orlando, interpretado pelo Vladmir Brichta, fecha um triângulo amoroso inesperado com Ana (Letícia Sabatella) e Pedro (Wagner Moura). Ana se apaixona pelo mentiroso - o mesmo Orlando, fazendo de tudo para um a papel numa minissérie de TV, inspirada em Tristão e Isolda - que se faz de um morador do sertão. Não se sente o ímpeto de seu amor com Orlando como visto no início do filme, dela pelo Pedro. Se ele talvez não estivesse por perto, daria para entender... Se ele talvez não quisesse Ana mais, mas não. Pedro está ali perto e sabe da relação que Ana e Orlando estão mantendo. Ele não faz nada... Não sente mais ciúmes. É estranho. Passa-se desapercebido até o fim da projeção, mas no final das contas, é difícil de engolir. Destaque para a atriz Andréa Beltrão em ótima forma.

Site oficial do filme: http://www.romanceofilme.com.br/



ÚLTIMA PARADA 174
 

Última Parada 174 foi o escolhido da vez para tentar uma indicação ao Oscar. Depois do "deslize" do ano passado com O ano em que meus pais saíram de férias, pois mesmo sendo excepcional não trouxe a popularidade e o debate conquistado por Tropa de Elite. Dirigido por Bruno Barreto, o filme é baseado no documentário de José Padilha sobre o seqüestro do ônibus 174 no Rio de Janeiro que levou a morte de uma estudante e do próprio criminoso. Mas o filme tenta mostrar um lado que muitos não vêm. O que levou Sandro do Nascimento a cometer tal crime. Esse é diferencial do filme, retratando sua triste infância em uma favela, sem a mãe e cercado de criminalidade, o que as pessoas não querem ver, pois pra muitos ele é apenas um assassino, Sandro o assassino, e não interessa o antes e nem o depois. O final surpreendeu a mim que não lembrava do desfecho da história verdadeira, em relação a mãe de Sandro, e isso foi algo bem realizado. Outro ponto forte é o final, com o tom melancólico dando um ar de que isso não é o fim dessa triste realidade. Infelizmente o filme não veio antes e explorou a temática batida da violência, mesmo que com uma crítica mais interessante que alguns antecessores. Chances pro Oscar eu não sei, mas que é um ótimo filme, isso eu não tenho dúvidas.

Site Oficial do filme: www.ultimaparada174.com.br
 
E daqui a pouco tem mais novidades no novo Project Monkeys!