janeiro 30, 2010

'Deixa Ela Entrar': terror sobre vampiros é perturbador

Terror sueco foge de clichês e conquista o público com a relação entre adolescente e vampira


Sucesso de crítica e vencedor de vários prêmios, a produção sueca Deixa ela Entrar (Låt den Rätte Komma In, 2008) poderia ser mais uma daquelas perdidas na mitologia, que apelam para a pornografia e cenas violentas. Mas em tempos de True Blood e Crepúsculo que trazem visões diferentes e renovam o gênero - mesmo que pra isso, infelizmente, o último mude as características dos clássicos - o público tem se tornado cada vez mais exigente quanto ao tema. 


Deixa ela Entrar, narra a história do jovem Oskar (Kåre Hedebrant), de apenas 12 anos, que sofre com o abuso de colegas na escola. Violentado quase que diariamente, ele ainda passa pelos problemas familiares - pais separados - que o tornam anti social, isolado e sombrio. Se as características claramente lembram de um vampiro, vale acrescentar que o físico do garoto, branco, quase que albino, e com forte expressão nos olhos. Até que a chegada de vizinhos no apartamento ao lado trazem a ele um novo rumo. E logo o garoto conhece Eli (Lina Leandersson), a vampira de 12 anos (só que com muito mais tempo nessa idade, como ela mesma diz) que possui quase as mesmas características de Oskar, o que os tornam cada vez mais próximos. Esse é o ponto central do filme, a aproximação dos dois e como de fato essa amizade vai mudar a vida de ambos. 


O diretor Tomas Alfredson descartou certos clichês como os de amores impossíveis, mas continuou com importantes tradições, da qual ele trata com tom irônico e beirando ao trash: fato do homem que testemunhou um dos ataques ter vários gatos em casa, o que guarda futuramente uma cena exagerada, mas condizendo com a mitologia; ou a mulher infectada queimando ao toque do sol em sua pele. São cenas que de fato fazem o tema ser ainda mais tratado com seriedade e fidelidade. A verdade é que todo o horror das criaturas vampirescas oriundo da maldição de se viver matando para sobreviver, cria uma certa inveja aos humanos que clamam por poderes para serem diferentes e até mesmo resolverem seus problemas mais facilmente. Oskar consome a admiração por Lia, a única que o entende e está do seu lado para enfrentar os problemas juvenis. Algo não inédito do gênero, mas que transforma essa maldição, na metáfora da adolescência.


Além do roteiro muito bem trabalhado, vale destacar as belas imagens da Suécia, mesmo congelada, mas que cria um suspense primoroso. Mesclando cenas delicadas de identificação entre os personagens, e as mais bizarras e assustadoras - vale destacar a do pai de Eli desfigurado - ou as tempestuosas cenas de ataques embaladas pela trilha sonora tão eficiente como em Psicose

Deixa ela Entrar pode ser uma boa pedida aos fãs do gênero e que gostam de ver adolescentes e jovens amaldiçoados. Mesmo sem lamúrias e romance, consegue assustar e ao mesmo tempo encantar com um grande toque de realismo ao tratar relação dos vampiros e humanos em nossa época cercada de tanta violência e o medo universal quanto do apocalipse.  
 
Deixa Ela Entrar
Låt den Rätte Komma In
Suécia, 2007 - 110 min
Suspense / Drama 
Direção: Tomas Alfredson 
Roteiro: John Ajvide Lindqvist 
Elenco: Kåre Hedebrant, Lina Leandersson, Per Ragnar, Henrik Dahl, Karin Bergquist, Peter Carlberg 
Trailer:


janeiro 26, 2010

MUSE, KASABIAN E ARCTIC MONKEYS LIDERAM INDICAÇÕES AO 'NME AWARDS 2010'

Enquanto Lady GaGa monopoliza as categorias dos mais esquisitos



Depois das indicações do Brit Awards 2010, chegou a vez da publicação New Music Express - específica ao universo indie - revelar principais concorrentes em sua premiação. O Muse tem o maior número de indicações, ao todo sete. As bandas Kasabian e Arctic Monkeys ficaram atrás com cinco indicações cada - desconsiderando categorias específicas em que apenas membros são indicados.

Lady Gaga, Biffy Clyro, Lua Nova e até mesmo o Twitter estão entre os indicados. Dia 24 de Fevereiro os vencedores serão anunciados. Confira a lista:


Melhor Banda Britânica
Arctic Monkeys
Biffy Clyro
Kasabian
Muse
Oasis

Melhor Banda Internacional
Green Day
Kings Of Leon
Paramore
Vampire Weekend
Yeah Yeah Yeahs

Melhor Artista Solo
Dizzee Rascal
Florence And The Machine
Jamie T
Julian Casablancas
Lady Gaga

Melhor Banda Nova
The Big Pink
Bombay Bicycle Club
Mumford & Sons
The xx
La Roux

Melhor Banda Ao Vivo
Arctic Monkeys
Kasabian
Muse
Radiohead
Them Crooked Vultures

Melhor Álbum
Arctic Monkeys – 'Humbug'
Kasabian – 'West Ryder Pauper Lunatic Asylum'
Muse – 'The Resistance'
The Cribs – 'Ignore The Ignorant'
The Horrors – 'Primary Colours'

Melhor Música
Animal Collective – 'My Girls'
Arctic Monkeys – 'Crying Lightning'
Florence And The Machine – 'Rabbit Heart (Raise It Up)'
Jamie T – 'Sticks N' Stones'
The Big Pink – 'Dominos'

Melhor Videoclipe
Arctic Monkeys – 'Cornerstone '
Biffy Clyro – 'The Captain'
Kasabian – 'Fire'
The Maccabees – 'Can You Give It'
Oasis – 'Falling Down'

Melhor Evento Ao vivo
Blur at Hyde Park
Jay-Z at Alexandra Palace
Muse at Teignmouth
Oasis at Heaton Park
The Dead Weather at Shoreditch Church

Melhor Festival
Download
Glastonbury
Reading And Leeds Festivals
T In The Park
V Festival

Best Dancefloor Filler
Dizzee Rascal And Armand Van Helden – 'Bonkers'
Florence And The Machine – 'You've Got The Love'
La Roux – 'In For The Kill' (Skream Remix)
Lady Gaga – 'Poker Face'
Yeah Yeah Yeahs – 'Zero'

Melhor Programa de TV
The Inbetweeners
Never Mind The Buzzcocks
Peep Show
Skins
True Blood


Melhor Filme
(500) Days Of Summer
In The Loop
Inglourious Basterds
The Twilight Saga: New Moon
Where The Wild Things Are


Melhor DVD
Kings Of Leon – Live At The The O2 Arena
Flight Of The Conchords – Complete HBO Second Season
The Killers – Live From The Royal Albert Hall
The Mighty Boosh – Future Sailors
Nirvana – Live At Reading

Giving It Back Fan Award
Kasabian and Noel Fielding for free 'Vlad The Impaler' video
Danger Mouse for leaking 'Dark Night Of The Soul'
Lily Allen for her Twitter ticket treasure hunt
Arctic Monkeys for their Oxfam golden tickets
Vampire Weekend for giving away 'Horchata' from the album 'Contra'

Herói do ano
Beyoncé Knowles
Noel Gallagher
Rage Against The Machine
Matt Bellamy
Alex Turner

Vilão do ano
Noel Gallagher
Liam Gallagher
Simon Cowell
Kanye West
Lady Gaga

Melhor Roupa
Lady Gaga
Liam Gallagher
Noel Fielding
Florence Welch
Karen O

Roupa mais esquisita
Lady Gaga
Matt Bellamy
Katy Perry
Liam Gallagher
Elly Jackson, La Roux

Álbum mais esquisito
Green Day – '21st Century Breakdown'
Lady Gaga – 'The Fame'
The Jonas Brothers – 'Lines Vines Trying Times'
U2 – 'No Line On The Horizon'
Arctic Monkeys – 'Humbug'

Banda esquisita
Green Day
Oasis
Jonas Brothers
Paramore
JLS

Homem mais sexy
Head to NME.COM now to rate possibles including Alex Turner, Liam Gallagher, Peter Doherty, Matt Bellamy, Brandon Flowers and Julian Casablancas

Mulher mais sexy
Head to NME.COM now to rate possibles including Lily Allen, Alison Mosshart, Rihanna, Lady Gaga, Florence Welch and Karen O

Melhor website (excluindo NME.COM)
Muse.mu
YouTube
Facebook
Twitter
Greenday.com


Melhor arte de capa do álbum
Muse – 'The Resistance'
Green Day – '21st Century Breakdown'
Kasabian – 'West Ryder Pauper Lunatic Asylum'
The Cribs – 'Ignore The Ignorant'
Manic Street Preachers – 'Journal For Plague Lovers '

Melhor blog de banda
Muse (Muse.mu and Twitter.com/muse)
Radiohead (Radiohead.com/deadairspace)
Noel Gallagher (Oasisinet.com)
Los Campesinos! (Loscampesinos.com)
Paramore (Paramore.net)

Para votar entre aqui.

janeiro 19, 2010

BRIT AWARDS 2010: PAOLO NUTINI, LILY ALLEN E KASABIAN LIDERAM INDICAÇÕES!

Florence And The Machine, La Roux e Pixie Lott também são os destaques

Foram divulgadas os indicados ao Brit Awards 2010 a premiação musical mais importante do Reino Unido. Nos anos anteriores o prêmio consagrou nomes como a cantora Duffy e a banda Arctic Monkeys (esquecida esse ano). Com duas indicações cada um, o escocês Paolo Nutini e a banda Kasabian dividem o mesmo número de categorias junto com Florence and The Machine e seu álbum de estreia Lungs; La Roux e Pixie Lott também debutando, porém ambas ficaram fora da indicação de melhor álbum. Eles só perdem para a londrina Lily Allen, indicada a 3 prêmios.

Paolo vai concorrer junto com Calvin Harris, Dizzee Rascal, Mika e Robbie Williams o prêmio de melhor cantor, enquanto Lily Allen disputa contra Bat For Lashes, Leona Lewis e as já citadas Florence And The Machine e Pixie Lott o prêmio de melhor cantora do ano. Na categoria de melhor grupo, o Kasabian concorre com Doves, Friendly Fires, a boysband JLS e o Muse.

Para o prêmio de melhor álbum estão indicados Dizzee Rascal com Tongue ‘N’ Cheek, Florence And The Machine com Lungs, Kasabian com West Ryder Pauper Lunatic Asylum (crítica do álbum aqui), Lily Allen e o sucesso It’s Not Me, It’s You (crítica do álbum aqui) e Paolo Nutini com o ótimo Sunny Side Up (crítica do álbum aqui).

Nas categorias internacionais o destaque fica com a americana Lady GaGa que concorre como melhor cantora internacional e revelação e com a banda Animal Collective (melhor álbum internacional e revelação). Confira a lista de indicados:

Melhor Cantor
Calvin Harris
Dizzee Rascal
Mika
Paolo Nutini
Robbie Williams

Melhor Cantora
Bat For Lashes
Florence And The Machine
Leona Lewis
Lily Allen
Pixie Lott

Revelação
Florence And The Machine
Friendly Fires
JLS
La Roux
Pixie Lott

Melhor Grupo
Doves
Friendly Fires
JLS
Kasabian
Muse

Melhor Álbum
Dizzee Rascal – ‘Tongue ‘N’ Cheek’
Florence And The Machine – ‘Lungs’
Kasabian – ‘West Ryder Pauper Lunatic Asylum’
Lily Allen – ‘It’s Not Me, It’s You’
Paolo Nutini – ‘Sunny Side Up’

Melhor Single
Alesha Dixon – ‘Breathe Slow’
Alexandra Burke featuring Flo Rida – ‘Bad Boys’
Cheryl Cole – ‘Fight For This Love’
Joe McElderry – ‘The Climb’
JLS – ‘Beat Again’
La Roux – ‘In For The Kill’
Lily Allen – ‘The Fear’
Pixie Lott – ‘Mama Do’
Taio Cruz – ‘Break Your Heart’
Tinchy Stryder featuring N-Dubz – ‘Number 1′

Melhor Cantor Internacional
Bruce Springsteen
Eminem
Jay-Z
Michael Bublé
Seasick Steve

Melhor Cantora Internacional
Lady Gaga
Ladyhawke
Norah Jones
Rihanna
Shakira

Revelação Internacional
Animal Collective
Daniel Merriweather
Empire of the Sun
Lady Gaga
Taylor Swift

Álbum Internacional
Animal Collective – ‘Merriweather Post Pavilion’
Black Eyed Peas – ‘The E.N.D.’
Empire of the Sun – ‘Walking On A Dream’
Jay-Z – ‘The Blueprint 3′
Lady Gaga – ‘The Fame’

Melhor Performance nos 30 Anos de Brit Awards
Bee Gees- ‘Stayin’ Alive’/'How Deep is Your Love’ (1997)
Bros – ‘I Owe You Nothing’ (1989)
Coldplay – ‘Clocks’ (2003)
Eurythmics & Stevie Wonder – ‘There Must Be An Angel (Playing With My Heart)’ (1999)
Girls Aloud – ‘The Promise’ (2009)
Kanye West – ‘Gold Digger’ (2006)
Kylie Minogue – ‘Can¿t Get You Out Of My Head’ (2002)
Michael Jackson – ‘Earth Song’ (1996)
Paul McCartney – ‘Live And Let Die’ (2008)
Pet Shop Boys – ‘Go West’ (1994)
Robbie Williams & Tom Jones – The Full Monty medley (1998)
Scissor Sisters – ‘Take Your Mama’ (2005)
Spice Girls – ‘Wannabe’/ ‘Who Do You Think You Are’ (1997)
Take That – ‘I Wanna Hold Your Hand’/ ‘A Hard Day¿s Night’/ ‘She Loves You’ Beatles medley (1994)
The Who – ‘Who Are You’ (1988)

Dia 16 de Fevereiro conhecemos os vencedores! #gopaolo #golily #gokasabian

UNITED NATIONS OF SOUND "ARE YOU READY?" - VIDEO PREMIERE

Novo projeto do vocalista do The Verve ganha primeiro clipe



O vocalista Richard Ashcroft do The Verve - que teve um retorno em 2008 depois de mais de 10 anos sem nenhum material inédito, com o álbum Forth, conseguindo estreiar em primeiro lugar nas paradas inglesas - está com um novo projeto. O nome do trabalho é United Nations of Sound e segundo o cantor para a NME, o produtor escolhido é o responsável por “Run This Town” e “D.O.A. (Death of Auto-Tune)” junto com Jay-Z.

O primeiro clipe com a música Are You Ready?, acaba de ser lançado. Infelizmente nas legendas usaram um google translate descarado e "Are you ready" em português virou "É você pronto" #fail. Tirando isso o clipe com cara de comercial da ADIDAS, pelo menos tem uma música legal. Confira:




Redemption é o título do álbum de debut e chega ao mercado em 29 de março.

janeiro 18, 2010

Globo de Ouro consagra Avatar

Filmes menos expressivos foram ainda mais esquecidos na cerimônia 

A 67ª edição do Globo de Ouro, ocorrida na noite de ontem, ficou marcada com poucas surpresas e genuinamente entregando prêmios à esperados vencedores. Votado pela Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA), o melhores do ano foram Avatar (confira a crítica aqui) como melhor drama, Se Beber Não Case como melhor comédia ou musical, e na parte de seriados, a melhor ficou por conta de Glee (comédia) e Mad Men (drama). Alguma surpresa?

Mesmo ver Robert Downey Jr., levando por Sherlock Holmes, não conseguiu impressionar os que acompanhavam uma premiação leve demais e sem tempo para as picantes piadas do apresentador Ricky Gervais, que faz a versão original de The Office.  A piada mais notória, claro, teve Mel Gibson e um copo de bebida como protagonistas. Provavelmente essa edição sofreu com alguns fracassos de bilheteria, o mais notável foi o caso do musical Nine, e por isso tentou consagrar de vez o sucesso  do entretenimento. Não que Avatar não merecesse, longe disso, porém estava meio óbvio visto que as críticas e o público mostram que o filme vai superar Titanic, ou seja, não se é necessário ter o melhor dos roteiros, e sim uma história coerente e bons efeitos especiais conseguem mais atingir mais do que uma produção menos atraente e com um bom roteiro. James Cameron assume o favoritismo do Oscar, mesmo com a forte concorrente de Kathryn Bigelow com Guerra ao Terror.

Outro ponto que mostra o lugar comum que se chegou a premiação, é o duelo de duas grandes atrizes que estão em alta nos cinemas: Meryl Streep e Sandra Bullock. Não que Meryl esteve embaixo alguma vez ultimamente. Mas ela tem participado dessas premiações e tentado não roubar a cena, como sempre faz. Então sobrou pra aquela que errou muito ultimamente, incluindo um dos piores filmes do ano (About Steve), e os grandes sucessos A Proposta - da qual, foi indicada, mas perdeu  para Meryl (Julie e Julia) - e Blind Side, nesse ela levou o prêmio de atriz de drama.

A melhor animação foi para Up Altas Aventuras. Está passando a hora desses filmes serem tratados com mais respeito. Como de costume quem foi homenageado da noite com o prêmio Cecil B. DeMille foi o diretor Martin Scorcese pelo conjunto de sua obra com grandes produções e que revelaram grandes talentos.

Na parte das melhores séries, Glee desbancou 30 rock não foi nenhuma surpresa. A série é  de um incrível sucesso e muitas pessoas infelizmente a julgam pelo piloto - que não é dos melhores - e por isso abandonaram o seriado, mas se pudessem retornar à assisti-la verão as temáticas como respeito aos deficientes e a homossexualidade sendo tratadas com muita dignidade, da qual nunca se viu na TV ultimamente.

A atriz Julianna Margulies, levou de melhor atriz de drama por The Good WifeMichael C. Hall venceu melhor ator por Dexter - algo que jamais pensei que iria acontecer depois de tantas derrotas. Toni Collette levou de melhor atriz de comédia por United States of Tara, série que a FOX deve lançar em breve por aqui. Porém, 30 Rock não saiu de mãos vazias e Alec Baldwin levou o prêmio, sinal de que aliviaram apenas esse ano, mas ano que vem com uma temporada boa, 30 Rock tem tudo pra vencer mais e mais - a série é ótima.

Entre discursos emocionados aqui e ali, e pouca ousadia, a festa serviu mais para brindar a alta que a indústria cinematográfica americana está vivendo com Avatar. Mas isso não é demérito algum, visto que o filme, nunca se tornará velho, e em tempos de tragédias anunciadas como a recente do Haiti, ele serve de exemplo para mostrar o poder de uma civilização que conscientemente sabe que é interligada com o resto de seu mundo. O diretor James Cameron encerrou a noite falando sobre isso e provou que não poderia ter produção melhor para vencer nesse momento.

A lista completa dos vencedores da 67ª edição do Globo de Ouro:

CINEMA
Melhor filme dramático
  • Avatar
  • Guerra ao Terror
  • Bastardos Inglórios
  • Preciosa
  • Amor sem Escalas
Melhor comédia ou musical
  • Se Beber, Não Case
  • 500 Dias Com Ela
  • Simplesmente Compicado
  • Julie e Julia
  • Nine
Melhor diretor
  • James Cameron, por Avatar
  • Kathryn Bigelow, por Guerra ao Terror
  • Clint Eastwood, por Invictus
  • Jason Reitman, por Amor Sem Escalas
  • Quentin Tarantino, Bastardos Inglórios
Melhor ator em drama
  • Jeff Bridges, por A Crazy Heart
  • George Clooney, por Amor sem Escalas
  • Colin Firth, por A Single Man
  • Morgan Freeman, por Invictus
  • Tobey Maguire, por Entre Irmãos
Melhor atriz em drama
  • Sandra Bullock, por The Blind Side
  • Emily Blunt, por The Young Victoria
  • Helen Mirren, por The Last Station
  • Carey Mulligan, por Educação
  • Gabire Sadibe, por Preciosa
Melhor ator em comédia ou musical
  • Robert Downey Jr., por Sherlock Holmes
  • Matt Damon, por O Desinformante!
  • Daniel Day Lewis, por Nine
  • Joseph Gordon Levitt, por 500 Dias com Ela
  • Michael Stuhlbar, por A Serious Man
Melhor atriz em comédia ou musical
  • Meryl Streep, por Julie e Julia
  • Sandra Bullock, por A Proposta
  • Marion Cotillard, por Nine
  • Julia Roberts, por Duplicidade
  • Meryl Streep, por Simplesmente Complicado
Melhor atriz coadjuvante

  • Mo-Nique, por Preciosa
  • Julianne Moore, por A Single Man
  • Anna Kendrick, por Amor sem Escalas
  • Vera Farmiga, por Amor sem Escalas
  • Penelope Cruz, por Nine
Melhor ator coadjuvante
  • Christopher Waltz, por Bastardos Inglórios
  • Matt Damon, por Invictus
  • Stanley Tucci, por Uma Olhar do Paraíso
  • Christopher Plummer, por The Last Station
  • Woody Harrelson, por The Messenger
Melhor filme animado
Melhor filme estrangeiro
  • The White Ribbon
  • Baaria
  • Abraços Partidos
  • The Prophet
  • The Maid
Melhor Roteiro
  • Jason Reitman, Sheldon Turner - Amor Sem Escalas
  • Neill Blomkamp, Terri Tatchell - Distrito 9
  • Mark Boal - Operação de Guerra
  • Quentin Tarantino - Inglourious Basterds
  • Nancy Meyers - It's Complicated
Melhor canção original
  • "The Weary Kind" (The Crazy Heart)
  • "I Will See You" (Avatar)
  • "Winter" (Entre Irmãos)
  • "Cinema Italiano" (Nine)
  • "I Want to Come Home" (Simplesmente Complicado)
Melhor trilha sonora
  • Michael Giacchino, por Up - Altas Aventuras
  • Marvin Hamlisch, por O Desinformante!
  • James Horner, por Avatar
  • Abel Krozeniowski, por A Single Man
  • Karen O. e Carter Burwell, por Onde Vivem os Monstros
TV
Melhor série dramática
  • Mad Men
  • Amor Imenso
  • Dexter
  • House
  • True Blood
Melhor atriz em série dramática
  • Julianna Margulies, por The Good Wife
  • Glenn Close, por Damages
  • January Jones, por Mad Men
  • Anna Paquin, por True Blood
  • Kyra Sedgwick, por The Closer
Melhor ator em série dramática
  • Michael C. Hall, por Dexter
  • Simon Baker, por The Mentalist
  • Jon Hamm, por Mad Men
  • Hugh Laurie, por House
  • Bill Paxton, por Amor Imenso
Melhor série cômica ou musical
  • Glee
  • 30 Rock
  • Entourage
  • Modern Family
  • The Office
Melhor atriz em série cômica ou musical
  • Toni Collette, por United States of Tara
  • Courteney Cox, por Cougar Town
  • Edie Falco, por Nurse Jackie
  • Tina Fey, por 30 Rock
  • Lea Michele, por Glee
Melhor ator em série cômica ou musical
  • Alec Baldwin, por 30 Rock
  • Steve Carell, por The Office
  • David Duchovny, por Californication
  • Thomas Jane, por Hung
  • Matthew Morrison, por Glee
Melhor minissérie ou telefilme
  • Grey Gardens
  • Georgia O'Keeffe
  • Into the Storm
  • Little Dorrit
  • Taking Chance
Melhor atriz em minissérie ou telefilme
  • Drew Barrymore, por Grey Gardens
  • Joan Allen, por Georgia O'Keeffe
  • Jessica Lange, por Grey Gardens
  • Anna Paquin, por The Courageous Heart of Irena Sendler
  • Sigourney Weaver, por Prayers for Bobby
Melhor ator em minissérie ou telefilme
  • Kevin Bacon, por Taking Chance
  • Kenneth Branagh, por Wallander: One Step Behind
  • Chiwetel Ejiofor, por Endgame
  • Brendan Gleeson, por Into the Storm
  • Jeremy Irons, por Georgia O'Keeffe
Melhor atriz coadjuvante em série, minissérie ou telefilme
  • Chloë Sevigny, por Amor Imenso
  • Jane Adams, por Hung
  • Rose Byrne, por Damages
  • Jane Lynch, por Glee
  • Janet McTeer, por Into the Storm
Melhor ator coadjuvante em série, minissérie ou telefilme
  • John Lithgow, por Dexter
    Michael Emerson, por Lost
  • Neil Patrick Harris, por How I Met your Mother
  • William Hurt, por Damages
  • Jeremy Piven, por Entourage


janeiro 11, 2010

GABRIELLA CILMI "ON A MISSION" - VIDEO PREMIERE

Australiana aparece mais sexy, mas segue com forte influência dos anos 80



Depois de emplacar uma das músicas mais executadas nas rádios em 2009 (Sweet About Me), a cantora Gabriella Cilmi, agora com 18 anos, continua na ativa e tentando conquistar mais sucesso. Deve ter surgido um sentimento de medo se cantora não emplacar mais nada e ficar conhecida apenas por um sucesso, visto que outros singles fracassaram nas paradas britânicas. Mesmo ter sido considerada revelação em 2008 e ser comparada à Amy Winehouse tudo agora é diferente e por isso é hora de tirar a roupa!

O novo clipe dela é inspirado no visual futurista, mas a sonoridade lembra a época de discoteca dos anos 80. Uma mistura bem interessante e na moda. Gabriella está linda no clipe, oposto do visual hippie que exibia na época do lançamento do primeiro álbum Lessons to Be Learned de 2008.

Confira a premiere de On A Mission e mais abaixo o arrasa quarteirão Sweet About Me:






O single será oficialmente lançado em 8 de Março.

janeiro 08, 2010

NOVIDADES: AVRIL LAVIGNE EM ALICE NO PAÍS DAS MARAVILHAS!

Cantora empresta a voz para trilha oficial do filme



A canadense Avril Lavigne está prestes a lançar seu novo álbum e em grande estilo vai participar da trilha sonora de um dos filmes mais aguardados do ano: Alice no País das Maravilhas do mestre Tim Burton (confira informações e o trailer aqui). As informações são da Variety Magazine e ainda complementa que a música será o primeiro single do 4º álbum, sucessor de Let Go (2002), Under My Skin (2004) e The Best Damn Thing (2007)  e se chama Alice Underground. Resta saber se o single terá clipe, ou será apenas lançado como foi Keep Holding On trilha de Eragon.

Com informações de Bandaids e do ALavigne.

janeiro 04, 2010

Project Movies: O Leitor

Kate Winslet brilha mais uma vez em um dos dramas mais emocionantes dos últimos tempos


O filme baseado no romance de Bernhard Schlink, é mais uma história sobre o holocausto e suas barbaridades, mas dessa vez inova em mostrar um ponto de vista diferente e ainda debatendo as consequências do que foram os primeiros anos depois das atrocidades. A produção foi indicada à cinco Oscars - Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Fotografia, Melhor Atriz, Melhor Diretor (Stephen Daldry) e Melhor Filme. Levou a estatueta de melhor atriz para Kate Winslet, que brilha.


A história gira em torno de um jovem de 15 anos, na Alemanha em reconstrução depois da Guerra. Eles se chama Michael Berg (David Kross), um garoto estudioso com uma vida normal. Na volta da escola, ele passa mal na rua e recebe ajuda de Hanna Schmitz (Kate Winslet). Logo os dois começam a ter um relacionamento amoroso, regado de muito sexo. Mas uma característica de Hanna começa a florecer, e ela pede que antes de transarem, que ele leia para ela. Daí variados clássicos são lidos e a mulher sempre se emociona a cada história. Para o público, não fica difícil desconfiar o segredo que é guardado no filme e, mesmo sem parecer muito absurdo, é isso que desencadeia um futuro triste para ambos personagens.

Hanna Schmitz é uma pessoa dura, complexa, sozinha e sem nenhuma perspectiva de vida. Depois do verão, ela some deixando Michael inconsolado. O personagem do garoto passa por uma transformação, e tenta seguir à diante. Entra na faculdade de direito e logo na primeira experiência de julgamento dá de cara com Hanna como réu, acusada de ter sido da SS  e cometido vários crimes. Nesse momento o filme dá enfoque a debates envolvendo a ética e os vestígios cruéis de quem trabalhou nos campos de concentração. Não apenas das vítimas. Pode-se punir quem participou dos massacres e quem se omitiu para se livrar do terror? O papéis se invertem a partir daí e o segredo de Hanna fica nas mãos de Michael. Um segredo que poderá diminuir sua pena, da qual, ela não quer revelar.

Além do complexo personagem de Hana, o filme ainda dá grande destaque para o de Michael e como ele reage diante de tal situação. É daqueles filmes que você tenta se colocar na história e o que faria no lugar do personagem. O incrível é como ele conduziu tudo, até finalmente ter uma atitude que emociona pelo grau de suavidade que é tratado. Ralph Fiennes interpreta Michael mais velho, e mesmo que não consiga segurar o ritmo quando a trama passa a ser contada mais na frente, ele continua se aprofundando nos vestígios daquela história até voltar ao centro dos acontecimentos.

O Leitor é um grande filme, e infelizmente só tive a chance de assisti-lo agora e consequentemente excluindo da minha lista de melhores filmes de 2009. Kate Winslet já merecia um Oscar depois de tantos papéis ousados e que foram bem trabalhados, mas ganhou por um que não é qualquer atriz que faria com tanta dignidade. 
   
O Leitor  
The Reader
EUA / Alemanha, 2008 - 124 min
Drama
Direção: Stephen Daldry 
Roteiro: David Hare 
Elenco: Kate Winslet, Ralph Fiennes, David Kross, Lena Olin

Trailer: 






janeiro 01, 2010

PROJECT MONKEYS E OS MELHORES DE 2009!

O ano começa com um pequeno grande post sobre o que o blogger mais gostou em 2009

Primeiro, deixo bem claro que a opinião é pessoal, e levando consideração muitos posts que o blog teve nesse ano que passou. Ou seja, a análise dos lançamentos durante o ano. Foram 232 posts durante o ano contra 64 posts de 2008. Em 2010 o blog completa dois anos no ar! E o processo em expandi-lo continua firme e forte e trabalhando com as possibilidades.

No ínicio de 2009, como de praxe no cinema foram lançadas várias produções premiadas, ou apenas indicadas, ao Oscar chegando às telas. Em meio à alguns blockbusters que nesse ano foram vários. Nesse ano, alguns nos encheram de orgulho como o grandioso AVATAR, que sem dúvidas acrescentou em muito à maneira de fazer cinema e de se ver cinema. Por outro lado, Transformers 2 e cia, mostrou que algumas pessoas continuam tratando o público como mero idiota, apostando em explosões e sensualidade em um roteiro vergonhoso e quem nem crianças aceitam mais. O cinema pode não ter a obrigação de fazer questionamentos ou mostrar realidades, mas deveria abraçar uma responsabilidade social, diante a degradação do planeta Terra e até mesmo com a própria sociedade. Por que não utilizar um veículo de massa para pelo menos alertar? Transformers 2 é um filme de ficção científica, que tem elementos muito parecidos com AVATAR, mas é muito inferior e decepcionante.

Top 15 dos melhores filmes de 2009:

15 - Watchmen - O Filme (Resenha Aqui)
Esse dividiu a crítica e o público. Não foi um grande sucesso, mas também nunca assumiu a responsabilidade de ser. A adaptação das HQs é mais cult, violenta e inteligente que as demais produções que pipocam pelo cinema desse gênero. Dr. Manhattan vale todo o filme.

14 - Divã
O cinema nacional enfim emplaca uma boa comédia com pitadas de drama. Lilia Cabral dá um show em um filme que fala sobre o ser humano, seus erros, paixões e drama.

13 - Milk - A voz da Igualdade (Resenha Aqui)
Filmes sobre personagens históricos, mas não conhecidos do grande público, são sempre uma boa coisa para se ver no cinema. A cinebiografia de Harvey Milk é brilhante e Sean Penn mais ainda.


12 - Up - Altas Aventuras
(Resenha Aqui)
Sucesso absoluto de crítica e público, o novo filme da Pixar mostrou que o estúdio se supera a cada lançamento. Sensível, divertido e tocante. Poderia uma animação superar um filme convencional? Sim, e esta é a prova.

11 - Coraline e o Mundo Secreto (Resenha Aqui)
Importante animação em stop-motion mostra que qualidade não tem nada a ver com computação gráfica apenas, criatividade é o mais importante.

10 - O Casamento de Rachel (Resenha Aqui)
Difícil de captar logo de primeira, mas o filme vai deixando claro suas intenções e mudando a forma em que filmes sobre viciados em drogas são mostrados nas telonas. Anne Hathaway está próxima ao seu auge.


9 - Tempos de Paz (Resenha Aqui)
Esqueça explosões e mortes dos conflitos da 2ª Guerra Mundial, nesse você se emociona com os diálogos e um intenso monólogo de Dan Stulbach.

8 - O Lutador (Resenha Aqui)
Mickey Rourke em um papel que descreve a sua vida, mas foge dos clichês de filmes sobre superação. Aqui, o ser humano é mesmo humano e sempre à procura da redenção.

7 - À Deriva (Resenha Aqui)
Produção nacional impecável, com atuações naturais e de primeira, mostrando uma família contemporânea, com seus sentimentos à prova de tudo e sob o olhar de uma adolescente em momento de descobertas.


6 - Anticristo (Resenha Aqui)
Polêmico, absurdo e chocante. Difícil até mesmo de dizer seu gênero, ainda mais listá-lo. Lars von Trier conseguiu fazer o que muitos não estavam conseguindo à anos: provocar.


5 - A Troca
(Resenha Aqui)
Clint Eastwood como diretor está sendo uma virtude para o cinema americano. Os filmes são bons, mesmo tratando de histórias complexas. Esse é bem produzido e com uma estética convincente ao retratar uma realidade sombria e triste com foco nos dois lados da mesma moeda.

4 - O Contador de Histórias (Resenha Aqui)
Emocionante e dando um belíssimo exemplo do elemento que falta para salvar nossas crianças do tráfico e da desesperança: a boa vontade. O fato de ser baseado em fatos reais e contado quase em forma de fábula, apenas acrescenta mais às lágrimas impossíveis de se conter ao final da exibição.


3 - Quem quer ser um milionário? (Resenha Aqui)
Os méritos vão para Danny Boyle que mais uma vez se mostrou excelente. O filme que tem um roteiro que relata a realidade da Índia, em meio ao amor de dois jovens e um programa de perguntas e respostas. O clímax é um dos melhores em muitos tempos.


2 - AVATAR
(Resenha Aqui)
Já elogiei muito o filme aqui no blog, e sem dúvidas é a melhor aventura do ano, e talvez umas das melhores da década. O filme tem todos os elementos que possam agradar ao público com uma história que muito se reflete à realidade mundial. Provocativo em alguns diálogos, ele é pertinente e foi lançado no momento mais apropriado. Que venham continuações!

1 - Foi Apenas Um Sonho (Resenha Aqui)
O diretor Sam Mendes já mostrou que sabe muito bem falar sobre a vida das famílias na sociedade das aparências em Beleza Americana. Aqui ele mais uma vez foca o assunto, mas dessa vez com um casal de jovens (Kate Winslet e Leonardo di Caprio) que acabam de se mudarem para o subúrbio. Brigam o tempo todo e buscam a felicidade da quais todos dizem que existe. Foi Apenas um sonho é um filme sobre o ser humano. Sobre a vida e acima de tudo, sobre sonhos não alcançados.


O trailer é esse, para quem não viu ainda:





As decepções ficam por conta de alguns grandes filmes, da qual alguns que pareciam bons no trailer e na história, porém morreram na praia. Outros vou colocar nessa lista, mas não significam que são ruins.

O menino do Pijama Listrado*** - O fato de ser falado em inglês atrapalha a compreensão do filme. (Leia a crítica aqui)

X-Men Origins: Wolverine
** - Pequeno, corrido, poderia ter ficado melhor. Apenas serviu para dar mais saudades de X-Men. (Leia a crítica aqui)

Anjos e Demônios***
- O diretor dessa vez fez tudo ao contrário de O Código da Vinci e foi para outro extremo. Faltou equilíbrio. (Leia a crítica aqui)

O Exterminador do Futuro: A Salvação****
- Infelizmente o resultado nas bilheterias ficou abaixo do esperado. O filme é ótimo e agora resta esperar pelo resto da trilogia. (Leia a crítica aqui)

Jean Charles**
- A história do brasileiro que morreu em Londres foi transposta para o cinema e nada mostrou quem realmente foi Jean Charles. Aqui ele foi traduzido como um malandro qualquer. (Leia a crítica aqui)

Velozes e furiosos 4**** - Depois da fraca terceira parte da franquia, essa sequência resgatou o melhor da série: seus personagens. (Leia a crítica aqui)

Transformers: A Vingança dos Derrotados** - Enjoativo, sem nada novo à mostrar e com os personagens excessivamente caricatos. Roteiro exagerado e beirando à imbecialidade. Sofreu o mesmo problema das terceiras partes de Homem Aranha, X- Men e Piratas do Caribe - só que em proporções infinitivamente piores. (Leia a crítica aqui)

Harry Potter e o Enigma do Príncipe*** - Arrastado e pouco ousado em relação à adaptação do livro. Aliás, toda franquia até agora não conseguiu captar completamente à essência das obras literárias. E se limitou a ser apenas um filme para fãs dos livros. (Leia a crítica aqui)

Tá Chovendo Hambúrguer***** - Existe vida além da Pixar. Divertido, criativo e com mensagem básica no final. Parece fácil fazer filme assim, mas não é. (Leia a crítica aqui)

2012*** - Faltou se aprofundar na mitologia dos Maias e sobrou clichês. Mas o filme é até bom se for entendido como sarcástico. (Leia a crítica aqui)

Lua Nova** - O marketing do Jacob surtiu efeito e ele está bem próximo a virar o jogo - pelo menos no quesito popularidade. Pouca coisa mudou em relação Crepúsculo, nem mesmo com um diretor melhor, o filme se sobressai. Atuações melodramáticas, falas entediantes e a protagonista insuportável. (Leia a crítica aqui)

O ano de 2010 promete ainda mais grandiosas produções. Mais uma aventura do Homem de Ferro, Harry Potter ou a aguardada versão de Alice no País das Maravilhas de Tim Burton. Vamos aguardar!


Os destaques da Música em 2009


Na música é tudo mais difícil de comentar. Todo dia vou descobrindo bandas novas e sempre mudando a opinião. Por isso procuro fazer uma lista pessoal, da qual atualizo semanalmente com os principais singles do momento. É o Project Singles, que você consegue visualizar na coluna ai do lado direito. Nesse ano o escocês Paolo Nutini foi o recordista de vezes no primeiro lugar (7) com o single Candy. Preparei uma listinha dos melhores álbuns e ela exclui muitos nomes que realmente estão abalando o mundo pop. Eu acredito que música é mais questão de gosto do que cinema, da qual a linguagem abrange mais público - até mesmo o cinema cult.

O ano em que o newrave inspirou todos os gêneros populares como o R&B, o hip hop, o pop e até mesmo o rock. Não faltaram batidas eletrônicas e sensualidade. Em 2006 o álbum FutureSex/LoveSounds do cantor Justin Timberlake, produzido pelo Timbaland, ditou na indústria da música uma nova era. Mesmo com bandas mais alternativas já fazendo o som, nada chegou tão perto do sucesso que esse álbum se tornou e influenciou a música no geral. Então o sucesso da Lady GaGa, mesmo com músicas boas, percebe-se que não soa tão inovador assim. Os visuais excêntricos é que ajudam no marketing da cantora. Mas o que ela faz parecer tão novo como nunca - seja a estética e o exagero - fica apenas mais interessante na hora de se ver.


Top 20 dos melhores álbuns de 2009:

20 - Cobra Starship "Hot Mess": É powerpop, é rock, é energético. Tudo o que foi 2009 no campo da música de sucesso. Escute: Good Girls Go Bad parceria com Leighton Meester

19 - Flyleaf "Momento Mori": Depois de um excelente álbum de estreia, é meio difícil superar com o segundo trabalho. Mas nada faça de Momento Morium álbum ruim. Escute: Again

18 - Three Days Grace "Life Starts Now": O terceiro álbum da carreira e também o mais pesado. Faltou apenas uma divulgação melhor e mostrar mais o potencial do som. Escute: Break

17 - Natalie Imbruglia "Come to Life": Mesmo com lançamento cancelado para Fevereiro, o trabalho vazou na Internet e mostrou uma Natalie em meio às tendências. Cresceu e está em forma. Escute: Want

16 - Dead by Sunrise "Out Of Ashes": Complicado entender o que o vocalista do Linkin Park quis em seu projeto paralelo. O som não é muito diferente e apenas mais influenciado pelo Muse. Escute: Let Down

15 - Green Day "21st Century Breakdown": American Idiot foi um fenômeno e mudou os rumos da carreira do Green Day. Esse último álbum também conceitual foi um relativo fracasso de vendas, mas é tão bom quanto o outro. Foi apenas incompreendido. Escute: ¿Viva La Gloria?

14 - Biffy Clyro "Only Revolutions": É o rock sem frescuras. Guitarra, baixo, bateria, voz e atitude. Ah! E uma bela sinfonia atrás. (o.O) Escute: The Captain

13 - Arctic Monkeys "Humbug": A evolução do grupo musical considerado um dos melhores da atualidade assustou a todos, mas mostrou um lado pesado, diferente e bom. Escute: Crying Lightning

12 - Chris Cornell "Scream": Esse é polêmico. A união mais bizarra do ano resultou em um fracasso de crítica e de vendas. Timbaland produziu o álbum e fez um bom trabalho, mas quem diria que a voz de Chris Cornell poderia deixar o álbum esquisito? No fim, culpa é de ninguém. (Resenha Aqui) Escute: Scream

11 - Paramore "Brand New Eyes": Não que supere Riot, mas tem a mesma fórmula e não se vendeu completamente à indústria. Hayley é uma revelação. Escute: Ignorance

10 - Madina Lake "Attics To Eden": Difícil de rotular, mas um rock tão puro e bem feito. O estilo deles é diferente e energético. Escute: Never Take Us Alive

9 - Alicia Keys "The Element Of Freedom": Não é o melhor trabalho da Alicia, mas sem dúvidas deve-se destacar que a cantora é grandiosa e talentosa. Escute: Try Sleeping With A Broken Heart

8 - Kelly Clarkson "All I Ever Wanted": Não existe mais relação de seu nome com o reality show American Idol. Kelly tem uma das melhores vozes femininas da década e provou ser uma cantora completa. O álbum é moderno, pop e sempre com seu toque. (Resenha Aqui) Escute: If I Can't Have You

7 - Daniel Merriweather "Love and War": Uma das vozes mais poderosas do ano. O som urbano do cantor é apara aqueles que curtam música boa. Tem produção de Mark Ronson, que dispensa comentários. Escute: Red e Water and a Flame (Feat. Adele)

6 - The Big Pink "A Brief History Of Love": Influenciados pelo The Verve, o álbum de estreia tem melodias fortes e uma sonoridade obscura e de qualidade. Escute: Dominos

5 - 30 Seconds To Mars "This is War": O bom gosto de se tentar algo diferente já merece mérito para a banda de Jared Leto. Tudo se encaixa perfeitamente na união do eletrônico e o rock pesado. Escute: Hurricane (feat. Kanye West)

4 - Muse "The Resistance": Os caras fizeram um álbum inspirado na magnífica obra 1984 de George Orwell e ainda incluíram uma sinfonia - linda - divida em 3 partes. Impossível ser ruim. Escute: United States of Eurasia

3 - Lily Allen "It's Not Me, It's You": Ela não tem uma grande voz, mas tem uma língua afiada. O CD é pop, com sonoridade eletrônica em algumas músicas e outras mais doces. Letras políticas e sua liberdade de expressão a todo vapor. A transição para a vida adulta é mesmo instável. (Resenha Aqui) Escute: Back To The Start


2 - Kasabian "West Ryder Pauper Lunatic Asylum": Outra banda mudando de rota e experimentando. Esse álbum soa mais como uma homenagem ao rock de todas as épocas. E essa homenagem não poderia ter sido por uma banda melhor. (Resenha Aqui) Escute: Underdog


1 - Paolo Nutini "Sunny Side Up": O cantor foi contra tudo isso que está fazendo sucesso, e lançou um álbum pra ficar longe do playlist das boates. Soando folk, country e resgatando um som mais antigo, Paolo com apenas 23 anos lançou esse álbum e provou que veio pra ficar. Infelizmente não foi bem sucedido na América como o álbum de estreia, mas sem dúvidas é um excelente trabalho que está mais de 20 semanas nas paradas britânicas. (Resenha Aqui) Escute: Candy, Coming Up Easy e Pencil Full of Lead

Confira o clipe da mpusica Candy do Paolo Nutini:



Esse ano de 2010 tem Amy Winehouse! Mal posso esperar. Junto com ela tem trabalhos que merecem ficarmos ansisos pelo resultado e o Project Monkeys vai procurar cobrir todos os lançamentos. Christina Aguilera, Avril Lavigne, Gabriella Cilmi, My Chemical Romance, Evanescence, HADOUKEN!, Maroon 5 e muitos outros.


E esse pequeno grande post especial também serve para desejar à todos os leitores do Project Monkeys um ótimo 2010 com muito sucesso, música e cinema pra todo mundo! E principalmente desejo à todos muita PAZ.