novembro 27, 2009

LUA NOVA - RESENHA

Sequência de Crepúsculo melhora em aspectos, mas continua repetitivo em outros


O fenômeno voltou e jogou poeira em Harry Potter, pelo menos em números. Baseada na série de livros da escritora Stephenie Meyer, a versão cinematográfica somou em seu primeiro fim de semana 140 milhões de dólares de dólares. Por pouco não ultrapassa Batman - O Cavaleiro das Trevas, porém relativamente comparado ao custo da produção, foi bem mais rentável. Lua Nova custou 50 milhões para ser feito, enquanto Batman mais de 200 milhões. Mas nem tudo é sucesso. O best-seller, assim como o filme tem dividio opiniões até mesmo dos fãs. Eu não li o livro, e realmente pelos filmes você percebe que a história não tem nada de mais. Foi feito para um público segmentado e traz uma protagonista mal escrita, sem carisma e que se não fosse a fantasia ao seu redor, nada disso teria essa proporção.

Lua Nova mudou de direção (entra Chris Weitz e sai a fraca Catherine Hardwicke), mas continua perdido em meio a diálogos arrastados, melosos e repetitivos em comparação a Crepúsculo. Talvez devessem mudar o roteirista também. Aqui é possível ver que aconteceu alguma melhora nas atuações, cenas de ação... Mas as cenas românticas continuam entediantes.

O filme começa com o aniversário de Bella (Kristen Stewart quase inexpressiva como a personagem pede) sendo comemorado junto com a família do seu amado Edward (Robert Pattinson esse o oposto, com expressões exageradamente franzidas). Porém, antes disso, ela tem um sonho em que aparece velha e o vampiro continua claro, com carinha de "17". Bella que vive se machucando, corta o dedo em um papel e quase é atacada por um dos irmãos. Ai começa o drama do casal Romeu e Julieta. Ele querendo salvar a amada do perigo que é amar um vampiro, inventa que não a quer mais e some da cidade.

Noites de pesadelos atormentam a jovem que se vicia em adrenalina, pois nesses momentos Edward aparece em seus pensamentos. É ai que entra Jacob (Taylor Lautner bombado e roubando a cena) e começa a fazer companhia a Bella, consertando motos e criando laços mais amorosos. Só que uma situação, leva o descendente de índios também dar o fora na garota. E tudo volta ao início.. Sofrimento, depressão, desorientação, além de perigos para a moça, que até pular do penhasco ela pula. Essas cenas dão alguma agilidade ao filme, mas são patéticas. Outras foram inseridas para a trilha sonora ser encaixada - afinal temos um álbum pra vender! Algumas são estranhas, como Edward no Rio de Janeiro, em meio a favela (?). Mas felizmente a produção não tem mais cara de tele filme, e novos personagens chegam deixando o filme mais interessante como o Clã dos Volturi, entre eles a talentosa Dakota Fanning.

O fato é que Lua Nova demonstra alguma evolução, mas é perceptível que poderia ser melhor. Fãs que dizem que o filme deveria ser mais fiel ao livro, acordem! Uma coisa é uma coisa, e outra coisa é outra coisa. Adaptações boas, devem captar essência da história e transformá-la em um roteiro consistente mesmo que acrescentando ou tirando cenas. Sempre pensando no melhor para o público dentro do cinema. Filmes que são feitos apenas para quem leu o livro mostra uma visão limitada no sentido de ser apenas comercial. Filme bom não precisa de um livro para ajudá-lo na compreensão da história, o cinema como arte deve ser completo.

A Saga Crepúsculo: Lua Nova

The Twilight Saga: New Moon
EUA, 2009 - 130 min
Romance / Fantasia
Direção: Chris Weitz
Roteiro: Melissa Rosenberg
Elenco: Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Dakota Fanning, Michael Sheen

Trailer:


novembro 26, 2009

Project Monkeys é nota 10!

Para entender melhor, vou explicar.

Eu como alguns sabem, estou me formando em Jornalismo esse ano, e o meu projeto de TCC é uma Revista Online, chamada adivinha como?? Pois é: Project Monkeys.

O trabalho foi apresentado hoje para a banca de professores na UVV (Centro Universitário Vila Velha - ES), e eu e minha parceira Lorrany Martins, conseguimos tirar nota 10 com o novo projeto.

O resultado, que na verdade funciona mais como teste piloto, você pode conferir aqui: http://projectmonkeys.com.br.

Trata-se de uma versão sofisticada do blog, por enquanto sem conteúdo próprio, e que promete unir várias editorias, como as já conhecidas dos visitantes aqui do blog, Cinema, Música e Televisão, e acrescentar Comportamento, Arte, Moda e Literatura.

Claro que tudo tem seu tempo, e vamos buscar entender melhor como será essa Revista Online. Tudo ficou muito confuso agora e sentimos o peso de uma responsabilidade. Então é sentar, conversar e trabalhar!

Agradeço ao apoio de quem esteve do nosso lado todo esse tempo durante o trabalho, e principalmente quem me ajudou com esse blog - onde tudo começou -, me dizendo palavras de motivação, quando eu quase desisti de tudo, pelo pequeno número de acessos e a dificuldade de mater o blog atualizado.

Engraçado que com o site, tudo toma uma dimensão muito maior. As pessoas comentam mais. Isso assusta e muito.

Mas estamos com vontade de fazer algo legal, diferente e principalmente oferecer qualidade ao leitor. O blog Project Monkeys permanecerá ativo, e o site será melhor trabalhado.

Mais uma vez obrigado ao apoio. E é isso!

novembro 23, 2009

PARAMORE "BRICK BY BORING BRICK" - VIDEO PREMIERE

Clipe novo da banda é um fábula infantil

Demorou mais finalmente saiu! Depois de três meses do lançamento do clipe de Ignorance, o Paramore lança seu mais novo videoclipe Brick By Boring Brick. Também nem precisava lançar antes, o novo álbum da banda foi um sucesso de vendas no mundo inteiro. A música é uma metáfora em forma de conto sobre a adolescência. E o clipe não podia ser diferente.

Confira a premiere:



Hayley loira, toda bonitinha. Bom, mas sei lá, achei sem sal.

novembro 22, 2009

ANTICRISTO - RESENHA

Chocante, produção não é recomendado para estômagos fracos


Pode parecer clichê dizer isso, mas esse sem dúvidas é o filme mais aterrorizante que estreou ultimamente nos cinemas. Desde que passou pelo Festival de Cannes, a produção do cineasta dinamarquês Lars von Trier, dividiu opiniões. Foi aclamado por uns e execrado por outros. Mas afinal, é a polêmica e a necessidade de chocar que fazem Anticristo um filme bom ou ruim? Não.

A estética, a narrativa, os personagens. Tudo na produção é envolvente, contada de forma lenta em seu começo, mas ganha um ritmo dramático, beirando ao suspense e que poucos filmes de terror conseguem florescer e assim atingir o público. Dividido em capítulos, "Luto", "Dor (Caos Reina)", "Desespero (Ginocídio)" e "Os Três Mendigos", além de um prólogo e um epílogo, a produção narra a o pesadelo vivido por um casal que perde o filho em um acidente doméstico, enquanto faziam sexo - cena explícita e bem realizada. Daí começa o luto e o sofrimento principalmente da mãe (Charlotte Gainsbourg). Ela fica desorientada e passando por uma fase completamente depressiva. O marido (Willem Dafoe), terapeuta utiliza métodos da psicologia com ela, inclusive a levando para uma cabana isolada no meio de uma floresta - chamada Éden -, onde a ajuda enfrentar seus medos.

A partir daí o filme se torna um caos. A história vai revelando detalhes das verdadeiras intenções da mulher e seus sentimentos. O resultado é assustador. Violento, chocante. Sexo e sangue se misturam de forma que desperte agonia em quem assiste. É como se fosse uma versão menos trash de O Albergue, sem pudor ao mostrar órgãos sexuais e a violência sangrenta. Porém nada é gratuito, o intuito de chocar é o que faz do filme diferente e marcante. Até poderia ser evitado sim, talvez, mas não tomaria as dimensões que tomou.

Do "Desespero" aos "Os Três Mendigos" você já não consegue se mover, e provavelmente tentará exitar em olhar para a tela a cada cena que indica algum movimento de tortura. O filme então mergulha no passado. A questão tratada, sempre causa curiosidade nas pessoas. Um período tão obscuro, e como as mulheres eram tratadas de forma desumana. No filme a proporção do que acontecia antigamente é sintetizada na personagem desequilibrada e inconstante. A reviravolta. Revelações. Um soco na face de quem assiste. Poucos irão entender o filme, sentido do Anticristo no título. Mas tem relação com a personagem e a forma como toda aquela história incorpora nela. Ela é o próprio anticristo, mas não da humanidade, e sim das mulheres da época. Difícil de digerir, mas algo diferente e que foge do óbvio que o cinema de terror se tornou no últimos tempos. E vale avisar, prepara-se porque não é fácil assisti-lo.

Anticristo

Antichrist
Dinamarca/Alemanha/França/Suécia/Itália, 2009 - 109 min
Terror
Direção: Lars Von Trier
Roteiro: Lars Von Trier
Elenco: Willem Dafoe, Charlotte Gainsbourg

Trailer:



novembro 20, 2009

Dead By Sunrise "Let Down" - Video Premiere

Segundo single de banda paralela de Chester Bennington


A banda existe desde 2005, mas apenas nesse ano que foi lançando o primeiro álbum do Dead By Sunrise que tem como vocalista, o mesmo do Linkin Park - Chester Bennington. O álbum Out Of Ashes foi lançado em 13 de Outubro, e teve como single Crawl Back In.

Juntando críticas negativas da imprensa especializada, o trabalho passou longe do sucesso que o Linkin Park tem conquistado. Foram apenas 40 mil cópias vendidas na primeira semana de lançamento. Let Down é o novo single promocional e vai tentar reverter o quadro. Mas fica uma questão, o som tem alguma diferença com Linkin Park, além da ausência do rap de Mike Shinoda? Eu não vi nada muito diferente. Mas isso não tira o mérito do bom álbum que é. Veja o novo clipe:



Maroon 5 "Story" - Video Premiere

Banda lança B-side em apoio a instituição de caridade


O ano realmente foi bom para a banda americana Maroon 5. Mesmo não lançando nenhum material novo, desde 2007 com o ótimo segundo álbum da carreira It Won't Be Soon Before Long, a banda esteve em turnê, e também se apresentou em diversos eventos importantes nos Estados Unidos, como o histórico dia em que Barack Obama assumiu o governo.

O clipe de Story é uma montagem de várias fotos feitas durante shows, bastidores e a participação dos integrantes nesses eventos. Interessante a banda não apelar para o sentimentalismo, visto que o single é uma forma de apoio ao
Harlem Children's Zone, programas de apoio a crianças que vivem em lugares pobres em uma área de Nova Iorque. Olha como o programa se define e entenda melhor:

"A zona de Harlem Children's recebeu elogios de todo o mundo para o seu sucesso sem precedentes para quebrar o ciclo da pobreza entre gerações por mais de10.000 crianças. Abordagem única HCZ é criar uma corrente transportadora abrangente da educação e programas sociais-serviço em uma área 97-bloco em Central Harlem, apoio a crianças pobres desde o nascimento até a faculdade. Todos os nossos programas são fornecidos gratuitamente, graças ao generoso apoio de milhares de pessoas. Por favor, considere fazer uma doação para HCZ hoje"

Bacana como uma banda se apadrinha de programas sociais e os apóia com sua publicidade, sua música e honestidade. Afinal o Maroon 5 é uma grande e talentosa banda que se sustenta apenas na música para fazer sucesso. Confira o ótimo video de Story,
enquanto eles fazem uma turnê em universidades preparam novo álbum para o ano que vem!





novembro 15, 2009

2012 - Resenha

Filme catástrofe é um dos mais esperados no ano


Lançado quase três anos antes da data em que os Maias escolheram para ser o fim do mundo - 21 de Dezembro de 2012 -, o novo filme apocalíptico de Roland Emmerich não tem nada de inovador e muito menos de originalidade, a não ser o tema. Todos os elementos que fazem um filme desse tipo dar certo estão lá: efeitos especiais, herói divorciado e com problemas de relacionamento com os filhos, presidente arrependido por não ter conseguido salvar o planeta, estranhos com uma sede de salvar outros estranhos custe o que custar, operários que morrem quando suas obrigações acabam, final relativamente feliz. O resultado foram os mais de 225 milhões de dólares arrecadados em seu primeiro fim de semana pelo mundo.

Todos os tormentos que norteiam o filme, vulcões, terremotos, tsunamis devem ser apresentados ao público, então desde a descoberta do erro de um cientista em prever o problema, conhecemos o personagem de John Cusack. Seu drama com a família e de escritor não muito famoso. Intercalando com sua história, conhecemos outros personagens, muitos politicamente corretos, como o cientista que tem problemas com o pai, com a humanidade que não pode salvar e por último momento discursa em pró daqueles que seriam abandonados no momento final do filme.

O cinema do exagero está presente em todo percurso do filme, e a sensação que dá é que ninguém envolvido na produção acredita nessa data e em suas consequências. A primeira cena de ação, é absurda e o ápice precoce faz com que o filme não consiga superá-lo até o final da projeção. Amarrar todas as histórias torna-se algo cansativo às vezes e correr com a aventura até se chegar ao clímax decepciona com a falta de senso cronológico das ações e o excesso de remorso das histórias. Tirando a tecnologia exagerada e impossível de se evoluir em tão pouco tempo.

Mas como não bastasse, ainda conhecemos vilões, ou apenas seres humanos sem sentimentos, que querem salvar a espécie humana sem medir esforços ao enganar alguns e deixarem morrer. O filme sem dúvidas é maior no sentido de mostrar o mundo e um pouco de cada região. O Brasil é citado como o trailer já cansou de mostrar. Os cuidados da produção foram importantes para expor a visão do diretor de realidade, habitantes falam suas línguas provenientes de cada país. Como o jornalista falando da queda o Cristo Redentor e fazendo mershandising da Globo News. Esses cuidados nem sempre são respeitados nesse tipo de filme, e muitas vezes fecham o mundo a um Estados Unidos universal.

Mas o patriotismo americano está condensado lá. A figura simbólica de Barack Obama é sintetizada no presidente de Danny Glover. Heróico, sensível. Ele cuida do povo, morre pelo povo. Um tipo de crítica que fica mais clara ainda quando antes dos ocorridos, um sósia de Arnold Schwarzenegger aparece na televisão dizendo que a Califórnia está livre dos tremores, e no mesmo momento um personagem diz: "Esse cara ensaia as falas, ele é ator!" Ou seja, estamos diante de um filme que quer mostrar uma transição entre governos, o sentimento de que os Estados Unidos mudaram e o presidente agora é decente.

Outros personagens ganham certo destaque para mostrar outras vertentes da sociedade - ou não. O personagem de Woody Harrelson visivelmente enlouquecido com tantas paranóias que moldam a cultura americana como Rosweel e Marilyn Monroe, defende a profecia e de forma engraçada e subjetiva faz graça com os idiotas que não acreditam. Ou a russa que acompanhada do cachorrinho é a sintese da imbecialidade humana diante um evento tão grande, mas que o diretor aqui tira sarro do próprio exagero que cria e faz nós torcemos pelo cachorro. O propósito de brincar em um filme com esse mote, e ao mesmo tempo querer passar valores éticos e morais nunca foi tão claro no gênero. Outros mostravam muito bem apenas uma face de cada vertente. Mas um diretor que quer se tornar ícone nesse gênero começa aprender mais e mais sobre a fórmula.

A mensagem do final pode passar batido para alguns, mas do mesmo jeito que termina O Dia Depois de Amanhã, a crítica contra as grandes potências mundiais é transfigurada para a imagem do globo mostrando como o mundo está agora. Entra o berço da civilização mais uma vez e os países subdesenvolvidos crescem e se tornam mais importantes. Mas fora os exageros, os clichês, a lições de moral e ética, 2012 é um filme que se torna bom quando não se é levado a sério. E nem deve, afinal estreiar tão antes da data do tal acontecimento é a prova mais concreta que nem seus realizadores se preocupam com tal balela.

2012

EUA, 2009 - 158 min
Ação / Ficção científica
Direção: Roland Emmerich
Roteiro: Roland Emmerich, Harald Kloser
Elenco: John Cusack, Chiwetel Ejiofor, Oliver Platt, Amanda Peet, Thandie Newton, Woody Harrelson, Zlatko Buric, Danny Glover, Thomas McCarthy

Trailer:



novembro 12, 2009

30 Seconds To Mars "Kings And Queens" - Video Premiere

E mais um curta metragem para a história da banda



A banda estadunidense 30 Seconds to Mars gosta mesmo de uma superprodução na hora de fazer seus clipes. Os vídeos são longos, bem dirigidos e volte meia tem um roteiro consistente e até diálogos. Formada por Jared Leto (vocal e guitarra) - que também é ator e participou dos incríveis Réquiem Para Um Sonho e o Senhor das Armas - seu irmão Shannon Leto como baterista e Tomo Miličević o atual baixista, a banda vai lançar o terceiro álbum de estúdio, chamado This War em 8 de dezembro nos Estados Unidos e 7 de dezembro no Reino Unido.

O primeiro single Kings and Queens ganhou um vídeo bem bonito, com ciclistas sincronizados e a banda tocando ao pôr do sol. Mais simples que outros vídeos promocionais do CD A Beautiful Lie de 2006, mas nem por isso menos encantador.

Pra que não conhece a banda, ela já tem dois álbuns lançados, é engajada com a política de salvar o meio ambiente e tem essas belas produções: The Kill, completamente inspirado em O Iluminado; From Yesterday passado em uma China antiga e A Beautiful Lie que alerta sobre o aquecimento global, gravado completamente em geleiras na Antártida. Confira o novo clipe e depois os três citados na íntegra:

Kings and Queens:



A Beautiful Lie



From Yesterday:


The Kill:


Fall Out Boy "Alpha Dog" - Video Premiere

Lançamento de primeiro Greatest Hit's é lançado


Pra quem não sabe, já foram cinco álbuns lançados e cerca de oito anos de carreira. De acordo com o Wikipédia, são mais 12 milhões de CDs vendidos em todo o mundo e muitos fãs que adoram copiar a franjinha do Pete. Pois é, e chegou a hora de um Greatest Hit's. Intitulado Believers Never Die: Greatest Hits, a compilação chega às lojas em 17 de Novembro.

Alpha Dog é simples. Tanto a música quanto o vídeo captam o melhor do Fall Out Boy, a família que se forma com os integrantes da banda juntos e a música que é contagiante. Confira a premiere:



Hadouken! "Turn The Lights Out" - Video Premiere

E banda prepara terreno para a chegada do novo álbum!


Postei em setembro, pela primeira vez por aqui, uma banda que curto muito, o Hadouken. Apresentei o novo vídeo MAD, e alguns vídeos da banda - que por sinal são muito criativos. O clipe promocional foi feito para o lançamento do EP da banda de new rave/tecno chamado M.A.D. Já o segundo álbum oficial da banda vai ser lançado em Janeiro.

Por enquanto ficamos com uma amostra do que vem por aí com o vídeo macabro/dançante de Turn The Lights Out. Veja:


Hadouken - Turn The Lights Out

Hadouken!

novembro 09, 2009

Cobra Starship "Hot Mess" - Video Premiere

Enfim, banda lança segundo clipe depois do estrondoso sucesso do novo álbum


Na verdade o álbum Hot Mess não fez um sucesso estrondoso, mas o single Good Girls Go Bad conquistou as charts americanas e apresentou a banda ao mundo. Mesmo com outros dois álbuns já lançados (While the City Sleeps, We Rule the Streets de 2006 e ¡Viva La Cobra! de 2007) e ainda com Pete Wentz como padrinho, a banda era desconhecida no mundo pop. Mas a parceria com a estrela de Gossip Girl, Leighton Meester, mudou esse quadro e o Cobra Starship emplacou o 7º lugar da Billboard HOT 100, além de figurar pelas charts do Reino Unido.

Hoje a MTV lançou o clipe, mas apenas para quem mora no Estados Unidos. Ele estava vetado pra outros países, mas Internet é aquela coisa, né? Infelizmente a qualidade está péssima. Confira a premiere e mais abaixo outros vídeos da banda:

Hot Mess:



Good Girls Go Bad:



The City Is At War:



novembro 06, 2009

Flyleaf "Beautiful Bride" - Video Premiere

Segundo single já tem vídeo lançado, mas não é oficialmente

Eu não costumo fazer isso por aqui, mas não consegui conter a emoção de ouvir o novo álbum da banda Flyleaf, que falei faz pouco tempo aqui. O segundo álbum, Memento Mori, que tem data de lançamento marcado para 10 de Novembro, já vazou pela Internet e o vídeo de Beautiful Bride também. Não postei aqui antes porque não havia sido lançado oficialmente. Mas convenhamos, é um vídeo! Não é o álbum inteiro e não vai atrapalhar o marketing da gravadora.

Falando no álbum, eu tive a oportunidade de ouvi-lo e posso garantir que está no estilo do anterior, de 2005. Talvez apostando mais nos gritos em algumas músicas, e outras a voz de Lacey está mais doce.

Para conhecer mais a banda que faz um rock meio metal e meio gótico, clique aqui. É uma ótima pedida aos que gostam de Evanescence, apenas lembrando que a voz da vocalista não é nada lírico. Longe disso, mas é linda. O clipe ficou bem legal, mas a música Again é mais profunda e bonita. Confira com exclusividade:



Agradecimento ao Hudson da comunidade oficial do Flyleaf no Orkut.

novembro 03, 2009

Muse "Undsiclosed Desires" - Video Premiere

Segundo single do novo album é lançado



E a banda inglesa Muse lançou hoje o novo videoclipe para promover o álbum The Resistance. A música escolhida dessa vez é Undsiclosed Desires. A música fala sobre os desejos secretos de duas pessoas que provalmente vivem em uma ditadura seja sentimental ou de algum poder soberano. Pra quem conhece 1984 de George Orwell - obra que inspirou o novo disco de acordo com os integrantes - vai entender muito bem como a letra se encaixa.

O álbum The Resistance já conquistou as charts em todo o mundo e conquistou uma média boa entre os críticos especializados. O clipe é meio esquisito, mas faz aquela crítica entre a realidade digital e o ser humano. A imagem do coração no painel foi uma grande sacada. Veja a premiere:

novembro 02, 2009

Prince of Persia: The Sands of Time - Trailer Premiere

Primeiro trailer é intenso, cheio de efeitos especiais e muita ação


É praticamente uma mistura de A Múmia com Piratas do Caribe. Mas parece ser mais divertido ao pensarmos que a adaptação de um dos melhores jogos de aventura de todos os tempos. O trailer de Prince of Persia foi lançado nesta segunda-feira, e a impressão de Jerry Bruckheimer está marcada por toda o vídeo. Até piadinhas no estilo Sparrow é possível perceber. Confira a prévia.



Na trama o príncipe Dastan (Jake Gyllenhaal) recebe a culpa por armar a morte de Shahrman, o soberano de Pérsia. Seu irmão Nizam (Ben Kingsley) é o verdadeiro vilão da história e armou o assassinato para assim assumir o trono.

Mike Newell
que dirigiu Harry Potter e o Cálice de Fogo, assume a direção da adaptação, que tem estreia prevista para 28 de maio de 2010.


fonte: Omelete

novembro 01, 2009

A Estrada - Trailer Premiere

Filme mostra uma Terra pós-apocalíptica e sombria


Já faz um bom tempo que foi divulgado o teaser da adaptação literária A Estrada (The Road). O livro do premiado escritor Cormac McCarthy - o mesmo que escreveu as histórias que foram adaptadas em dois grandes filmes: Espírito Selvagem e Onde os Fracos não Têm Vez - agora ganha seu primeiro trailer completo.

Estrelado por Viggo Mortensen (Trilogia O Senhor dos Anéis) e Charlize Theron (Monster - Desejo Assassino), a história se passa em um futuro pós-nuclear, quando a Terra está bem destrída e sua superfície fica cinza e nebulosa. Um pai (Viggo Mortensen) caminha com seu filho (Kodi Smit-McPhee) e um carrinho de supermercado em direção à costa, na esperança de encontrar alguma ajuda. Na estrada se deparam com perigos, surpresas e recompensas. Charlize Theron interpreta a esposa de Mortensen.

Confira o novo trailer:



A estreia foi remarcada para 12 de Fevereiro de 2010.
Informações do site Omelete.