janeiro 24, 2013

Crítica: Retorno das premiadas séries 'Girls' e 'House of Lies'

Comédias novatas retornam com seu humor peculiar...

A HBO Brasil retornou no último domingo a exibição de duas séries consagradas no Globo de Ouro 2013 e que estão apenas na sua segunda temporada. Trata-se das cômicas Girls (original do canal americano) e House Of Lies (exibida nos EUA pelo ShowTime, canal de Homeland). Confira um comentário sobre seus respectivos retornos:

Girls volta bem humorada e focada em relacionamentos


A série vencedora do Globo de Ouro 2013 como melhor comédia e melhor atriz de comédia, para Lena Dunham, finalizou a primeira temporada como se fosse uma introdução à vida adulta. O foco foi o confronto das escolhas da protagonista que anseia numa vida moderna, oposta das escolhas de sua mãe, uma vida no interior e conformista. Hannah tem um companheiro sexual, tentativas frustradas de trabalho, e tem o sonho de ser escritora. É uma jovem adulta que ainda vive uma ideia romântica da vida e vai do seu jeito sobrevivendo à realidade.

As lamentações da jovem continuam no segundo ano. São reclamações sobre adultos, o tédio ter de escolher responsabilidades adultas, como ajudar o companheiro machucado (visivelmente apaixonada por ele), mas prefere então uma nova companhia voltada ao sexual - pra não perder a sensação de liberdade de escolha e achar que está no controle. Além de tudo, ainda escolhe como companheiro para o apartamento um amigo gay. Tem algo mais moderno que isso? Porém, ela vai aos poucos lidando com os problemas que serão atribuídos à isso. Está interessante.


House of Lies retorna menos sexual e com promessa de romance


Vencedora no Globo de Ouro 2013 com a estatueta de melhor ator de comédia, para Don Cheadle, esse início da segunda temporada focou nos desdobramentos da reviravolta ocorrida no final da primeira. A fusão das empresas não ocorreu, porém, algumas mudanças foram feitas, e agora é uma mulher que vai cuidar dos funcionários - para afastas os boatos de assédio moral e sexual contra elas. Jeannie, personagem de Kristen Bell, ganhou um cargo por isso e assim não processar a empresa - já que ela que foi a chave contra a fusão, porém tocou em um tema perigoso para qualquer empresa.

Jennie também será o foco da temporada, pois, aparentemente, se abriu para Marty (Cheadle) e disse que o amava, na noite após a festa do final da temporada anterior. Ambos tentaram se lembrar o que aprontaram, se transaram ou não, pois estavam bêbados. A descoberta do que aconteceu mexeu com a moça que não esperava por isso. Outro tema que voltou foi a disputa pela guarda do filho, entre Marty e sua ex-mulher. Ela está mudando de vida e se preparando para ir ao juiz, enquanto ele está com medo, já que nem seu filho quer morar mais com ele. Será preciso reconquistá-lo. A série continua interessante e pelo que parece se recuperou dos equívocos cometidos na primeira temporada: os excessos de sexo e nudez gratuita. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Este blog contém conteúdo opinativo, por isso, não serão aceitos comentários depreciativos sobre a opinião do autor. Saiba debater com respeito. Portanto, comentários ofensivos serão apagados. Para saber quando seu comentário for respondido basta "Inscrever-se por e-mail" clicando no link abaixo.