junho 10, 2009

O Exterminador do Futuro: A Salvação - Resenha

Apesar da história confusa, o filme tem excelentes efeitos especiais e consegue dar novo fôlego a franquia


Eu gosto muito da desses filmes de máquinas que se rebelam e etc. Depois da trilogia Matrix, que decepcionou um pouco no último filme, senti falta de uma produção que conseguisse dar continuidade a todo essa filosofia criada de que os humanos vão perder o poder sobre essas máquinas. Para provar que tudo está indo rápido demais, a Microsoft inventa isso.

Outros filmes como Eu, Robô e o belíssimo A.I. Inteligência Artificial tratam o assunto com uma outra vertente, mas sempre explorando a evolução dos robôs de forma a se igualar aos homens em diversos sentidos. Bom, eu não me lembro do primeiro filme do Exterminador do futuro, mas o segundo filme eu já acho incrível, e sempre que passa da vontade de ver de novo, assim como Parque dos Dinossauros (!). O terceiro acredito que perdeu todo o brilho conquistado com o segundo, tanto que nesse eles tentaram mudar tudo dessa vez.


A idéia de se construir uma nova trilogia, com Christian Bale no papel principal, até cria grande expectativa. Mas quando lançado, o filme não teve uma recepção tão excepcional. Estranhei de fato, e comecei a ler críticas negativas. Afinal qual o problema do filme? Depois de ver me dei conta: nenhum. James Cameron que foi o diretor dos dois primeiros fez um ótimo trabalho. Quando se lançou T3, tudo foi feito com a intenção de apenas repetir características dos dois primeiros. A série de TV serviu mais para confundir tudo, apesar de ser boa, então sorte de quem não viu. Esse novo Exterminador pula a mesmice feita até aqui e acerta em quase tudo. Só que haviam pessoas que esperavam uma história mais complexa e que seguisse à risca todos os detalhes da bagunça que virou a franquia.


E por sorte fatos como as viagens no tempo nem sequer são mencionadas. Se não ia virar uma confusão. Filmes com essa temática nem sempre precisam ser complexos e confundir a cabeça do público. E já era de se esperar que o filme estava sendo feito para estourar nas bilheterias, pois até uma cena de nudez teria sido descartada para não compremeter a censura que ficou de 13 anos nos EUA. Então a aposta em cenas de ação e numa história básica, sempre bucando citações principalmente de T2 - como música dos Guns N' Roses, banhos de aço fundido e nitrogênio líquido, as frases clássicas e claro Arnold Schwarzenegger - dão um novo ritmo para a história.


O ponto fraco até aqui está em alguns diálogos. Tudo girando em torno de "todos merecem uma segunda chance" é dose. Ou o lance romântico que beira ao brega "você tem um coração bom" chega ser forçado demais. Mas como blockbuster que é fica díficil acertas nesse sentimentalismo dos personagens. Agora é esperar que realmente reconstruam a história e os rumos sejam ainda mais interessante. Afinal não quero ficar orfão dessa temática mais uma vez.

Ps.: A trilha sonora é um detalhe à parte. Danny Elfman mais uma vez, mandou muito bem.

O Exterminador do Futuro: A Salvação

Terminator Salvation
EUA, 2009 - 116 min
Ação / Ficção científica
Direção: McG
Roteiro: John D. Brancato, Michael Ferris
Elenco:Christian Bale, Sam Worthington, Anton Yelchin, Moon Bloodgood, Bryce Dallas Howard, Common, Jane Alexander, Helena Bonham-Carter

Trailer:




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Este blog contém conteúdo opinativo, por isso, não serão aceitos comentários depreciativos sobre a opinião do autor. Saiba debater com respeito. Portanto, comentários ofensivos serão apagados. Para saber quando seu comentário for respondido basta "Inscrever-se por e-mail" clicando no link abaixo.