março 28, 2013

Crítica: Justin Timberlake com seu novo álbum, "The 20/20 Experience", provoca - literalmente - longas emoções

O maior lançamento do ano não decepciona



O retorno de Justin Timberlake com certeza foi uma das coisas mais esperadas do ano. No último dia 19, o novo álbum de Timberlake teve seu lançamento em alguns países e em sua primeira semana fora registrada uma venda maior que 980 mil cópias apenas nos Estados Unidos.

Técnica

Em The 20/20 Experience não se tem muita coisa nova, Justin apresenta um retorno clássico e de extrema qualidade. Novamente sob a direção de Timbaland, possui sons fortes, com o gênero Neo Soul e corais muito bem arranjados em todas as canções.

O termo 20/20 significa, no meio oftalmológico, uma visão de qualidade, o que deu origem a sua capa e ao meio em que as letras são expressadas, principalmente em "Mirrors" e "Tunnel Vision".

Track2Track

Pusher Love Girl, lotada de coros é sem dúvidas uma das melhores do álbum, o que surpreendeu após aquela performance desnecessária no Grammy Awards. Após, o carro-chefe e a melhor música do CD: Suit & Tie, um R&B super animado com a magnífica participação de Jay-Z. Don't Hold The Wall logo ganha espaço mostrando a sofisticação da produção, leva consigo uns samples árabes logo após do coro de entrada e tem ritmo grudento! Em seguida Strawberry Bubblegum passa despercebida até  revelar uma batida com influência no samba carioca, e Tunnel Vision, que tem samples repetitivas, tornando-se cansativa.

Tudo continua com Spaceship Coupe onde há qualidade porém mostra-se incômoda devido sua duração e a falta de novidade. That Girl tem características surpreendentes, fazendo qualquer pessoa se sentir dentro de um live do cantor. Let the Groove Get In é contagiosa e dançante, porém novamente a persistência do refrão deixa rastros de exaustão.

Sem mais para Mirrors! Já é sucesso no Reino Unido e provavelmente entrará no top 10 da Hot 100. A música lembra o início da carreira de Timberlake, o estilo, a sonoridade. É possível até surgir perguntas leigas como: Qual boyband canta essa música? A versão standart fecha com Blues Ocean Floor, um erro de balada, uma tragédia com a voz do cantor, o grande erro da setlist.

A versão deluxe conta com duas músicas que podiam ter feito parte da versão normal, principalmente substituir algumas. As rimas de Timbaland deixa as músicas mais contagiantes, são totalmente animadas e de qualidade impecável, são elas: Dress On e Body Count.

Conclusão

Justin se esforçou, tentou dar ao público algo mais calmo com o mesmo padrão de sonoridade do seu último álbum e suas referências ao passado são indiscutíveis. A duração das músicas causa fadiga e a falta de surpresas em algumas músicas são erros que o cantor já apresentava. Timberlake tentou mostrar seu ângulo de visão, se perdeu um pouco no caminho, por outro lado a qualidade da produção continua inegável, essa é a 20/20 de Timberlake.

Apostas

Body Count e That Girl

Vídeos




Um comentário:

  1. resumindo: vc ficou em cima do muro com esse álbum? eu cheguei a baixar, mas ainda não ouvi ele! Adorei o post, acho q tens q contonuar a escrever sobr emúsica :)

    ResponderExcluir

Atenção: Este blog contém conteúdo opinativo, por isso, não serão aceitos comentários depreciativos sobre a opinião do autor. Saiba debater com respeito. Portanto, comentários ofensivos serão apagados. Para saber quando seu comentário for respondido basta "Inscrever-se por e-mail" clicando no link abaixo.