outubro 10, 2011

'Boardwalk Empire' retorna com novo fôlego

Seriado campeão de estatuetas no Emmy prova porque só perde para Mad Men como melhor drama


A HBO Brasil deu início com duas semanas de diferença a exibição nos EUA, a segunda temporada do premiado drama Boardwalk Empire. Vencedor de oito prêmios Emmy deste ano (foram 18 indicações), incluindo melhor direção para Martin Scorsese pelo episódio piloto, o seriado só não abocanhou o prêmio mais importante da noite: melhor série de drama. Se era a única série que poderia bater a campeã de quatro anos seguidos, Mad Men, todas as fragilidades do seriado - que no aspecto técnico é imbatível -, foram decisivos para a derrota. E o primeiro episódio desta nova temporada confirmou isso.

A primeira temporada não se importou com o ritmo lento, mesmo que um pouco mais agitado que Mad Men, e sempre guardou boas e surpreendentes cenas de ação. Se na TV uma série de máfia e de época nunca foi explorada com tanta violência e ao mesmo tempo a sutileza de tratar o contexto, Boardwalk Empire consegue explorar os dois extremos com maestria. Entretando falhou na condução da trama principal, contribuindo para Steve Buscemi sair sem o prêmio de atuação em drama e sua coadjuvante Kelly Macdonald também sair de mãos vazias. Faltou impacto no roteiro dessas tramas principais. Mas não que o Emmy também não tenha sido justo ao exluir da lista de indicados os coadjuvantes que roubaram a cena, e não falo do Michael Pitt que também ficou na sombra, mas principalmente de Michael Shannon que faz o complexo agente federal Nelson Van Alden.

E foi o Nelson que mais uma vez chamou atenção nessa nova fase da série. Levando sua esposa para visitar Atlantic City, os dois religiosos, se depararam com a cidade do pecado  mais corrupta e sexual que nunca. Claro que Nelson já sabe disso tudo e só precisa de encontrar uma forma de vencer Nucky e seu império. Falando nele, o cerco se fecha cada vez mais para o poderoso chefão. Seus aliados querem tirá-lo do poder, mas o que realmente o preocupa é que Jimmy esteja escondendo algo dele. Se a cena final revela alguma coisa pro futuro, é díficil saber o que vai acontecer, afinal ele guardou suas lembranças e tudo o que Nucky representou para ele em seu crescimento dentro do armário. Ele não jogou fora, nem colocou exposto na sala de estar.

Enquanto isso, Nucky precisa controlar sua cidade que vive uma guerra racial entre fundamentalistas e a população negra, que inclusive um deles é um importante aliado. O discurso diferente para cada lado da moeda é bem assustador. E dessa guerra é que o grupo que deseja ver Nucky fora de cena vai usar contra ele. Destaque também para a nova família dele já que o filho parece tender ao lado criminoso, gostando, literalmente, de "brincar com fogo". E o que Nucky faz? Não bate e nem tenta corrigir o garoto, mas sim lhe dá dinheiro para comprar doces, depois do jovem dizer que não vai mais aprontar. Esse caráter do protagonista em contato com a família vai ser interessante de acompanhar.

Foi um começo estável, seguindo o que foi visto na primeira temporada, mas ainda assim o acirramento dessa disputa de poder vai render boas surpresas. A prisão inesperada no final é o fôlego que essa nova fase precisava e que vai fazer as coisas se agitarem. Afinal, como será que Nucky vai conseguir sair vitorioso com tantos contra ele? Se conseguirem responder tão bem como criaram a pergunta, os fãs de Mad Men podem começar a se preocuparem.

Boardwalk Empire vai ao ar todos os domingos na HBO Brasil e HBO HD.