agosto 06, 2010

Quem é Salt?

Filme de espiã é cheio de ação e reviravoltas, porém, cai no lugar comum


Angelina Jolie é o nome feminino do cinema de ação atual. Talvez não só de ação, mas deve-se frisar que ela é a única heroína que chama atenção do público e faz certos milagres nas bilheterias. Filmes como Sr. e Srª Smith, O Procurado e Tomb Rider estão aí para provar. Não necessariamente isso signifique também que sejam bons, mas pelo menos acima da média se encaixam. Salt estreou nos cinema e fez boa bilheteria. Mas pouco importa para a carreira da bela atriz, que já ganhou o Oscar de coadjuvante pelo drama Garota Interrompida e quase levou tanto por O Preço da Coragem, em que faz a mulher de um jornalista sequestrado no oriente médio, quanto por A Troca de Clint Eastwood. Além disso, ela tem uma fama que ultrapassa as barreiras do cinema.

O que faz de Jolie aceita em tantos gêneros, é essa facilidade de ser durona e sexy quando necessário. Em se tratando de um filme que atrai uma potencial audiência masculina, tal advento é ainda mais lucrativo. Mesmo que alguns achem que filmes de ação não requer grande esforço pra expor emoções, o que é verdade, o difícil do gênero é encontrar um ator que tenha carisma - a única maneira de empolgar e fazer a ligação direta com o público. E é isso que salva Salt.

Com boas cenas de ação e um ritmo forte - sem tempo para a personagem comer ou dormir - Salt peca nos excessos do roteiro, que são muitos. Primeiro ela é daqueles personagens intocáveis, pouco se ferem e são capazes de construir uma bomba com alguns ingredientes básicos. Outro ponto é que além disso ela ainda é romântica, doce e em flashbacks relembra os momentos lindos com o amado. E mesmo que faça sentido - já que um espião deve ter várias personalidades - é difícil acreditar. O que dificulta ainda mais é a repetição de pistas quem tentam desvendar quem ela é, com informações chegando pelo celular ou o filme entregando seu passado de forma gratuita. Dessa forma, acabam levando a pergunta do título e do marketing ser respondida rapidamente. O que resta da metade do filme adiante é esperar e ver o que realmente ela quer. O imprevisível do filme dura pouco.

Porém, esse pontos negativos do roteiro, felizmente não atrapalham a boa diversão que a produção pode render. Em nenhum momento é arrastado e a história mesmo que mirabolante, remete ao passado da Guerra Fria, período de tensão entre os Estados Unidos e a União Soviética (Rússia). O diretor Phillip Noyce, que dirigiu Angelina em O Colecionador de Ossos, soube fazer o Bourne em versão feminina, com mais ação e charme, sem abusar da sensualidade da atriz (o que é de surpreender) e com gatilho para prender o público do início ao fim. O roteiro inicial foi feito para Tom Cruise, mas esse escolheu fazer Encontro Explosivo. Sorte. Salt é Angelina Jolie e ela, é a própria Salt.


Salt
EUA , 2010 - 100 minutos
Ação / Suspense
Direção: Phillip Noyce 
Roteiro: Kurt Wimmer 
Elenco: Angelina Jolie, Liev Schreiber, Chiwetel Ejiofor, Olek Krupa, Daniel Olbrychski, Hunt Block, August Diehl 

Trailer:  



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Este blog contém conteúdo opinativo, por isso, não serão aceitos comentários depreciativos sobre a opinião do autor. Saiba debater com respeito. Portanto, comentários ofensivos serão apagados. Para saber quando seu comentário for respondido basta "Inscrever-se por e-mail" clicando no link abaixo.