junho 13, 2010

O apocalípse humano de 'A Estrada'

Relação entre pai e filho emociona em um dos melhores filmes do ano



A Estrada não é um filme para todos. Apesar de tocar no drama que envolve a Terra apocalíptica, sem um razão evidente, o filme foca nas relações humana entre os poucos sobreviventes que se dividem em: os que caçam para continuarem a viver e os outros que caminham pelo nada em busca de algum sinal de esperança. Se trata da adaptação da obra do premiado escritor Cormac McCarthy - o mesmo que escreveu as histórias que foram adaptadas em dois grandes filmes: Espírito Selvagem e Onde os Fracos não Têm Vez - e vencedor do prêmio Pulitzer de ficção em 2007 por esse drama apocalíptico. 


Estrelada por Viggo Mortensen (Trilogia O Senhor dos Anéis) e Charlize Theron (Monster - Desejo Assassino), a história se passa em um futuro pós-nuclear, quando a Terra está bem destruída e sua superfície fica cinza e nebulosa. Um pai (Viggo Mortensen) caminha com seu filho (Kodi Smit-McPhee) empurrando um carrinho de supermercado em direção à costa, na esperança de encontrar alguma ajuda. Na estrada se deparam com perigos e ameaças. Charlize Theron interpreta a esposa de Mortensen, que aparece em lembranças do personagem. É um pouco complicado de assistir e deve incomodar alguns - particularmente, a fotografia é incrível - com o tom acinzentado que paira por toda a produção, e ainda mais em uma visão pessimista do gênero.

A relação entre pai e filho é o que sustenta o filme. Eles buscam por comida e algum lugar para passar a a noite e o pai se depara no dilema: como seria criar um filho em um lugar tão obscuro, sem vida e beleza? Movido pelas lembranças de sua esposa, a fé se esmiuça a cada algo que dá errado para os dois. Ele ensina que os dois são os homens bons, contra o maus que não possuem ética e passam por cima do valores humanos em busca da própria sobrevivência. A cada lição de moral, fica cada vez mais claro o desespero em se manterem com caráter quando não encontra nenhuma pista da esperança. Porém, ao ultrapassarem obstáculos aos poucos percebe-se o quanto é importante a construção da dignidade no menino, que no desfecho será recompensado. Afinal, encontrar no caminho um porão cheio de pessoas subnutridas, preparadas para serem abatidas como animais - uma cena que lembra o holocausto - é algo que não justifica nenhum tipo de sobrevivência.

Filmes com essa temática, apresentam sempre questões interessantes a serem analisadas. É quando falta luz durante a noite. Apesar de se conseguir informações em aparelhos eletrônicos, fica evidente como o ser humano é vulnerável a falta de tecnologias. Então, a evolução mais importante é qual? Manter os valores éticos e morais ou buscar as ferramentas mais potentes e fazer uso desenfreado delas? A sobrevivência é dos que possuem armas e as usam como animais ou daqueles que pensam apenas para se defenderem. E outro ponto é o da fé. Até quando buscar a vida em um lugar tão inóspito? São essas questões que surgem e fazem de A Estrada um dos melhores filmes do ano, mesmo que não pra todos.

A Estrada
The Road
EUA , 2009 - 111
Drama
Direção: John Hillcoat
Roteiro: Joe Penhall, Cormac McCarthy (livro)
Elenco: Viggo Mortensen, Kodi Smit-McPhee, Charlize Theron, Robert Duvall, Guy Pearce, Michael K. Williams, Garret Dillahunt


Trailer:



2 comentários:

  1. sim! belissimo! estou louco para ler o livro =D

    ResponderExcluir
  2. Ótimo filme... quando ví não esperava muito, me surpreendi. Recomendado.

    ResponderExcluir

Atenção: Este blog contém conteúdo opinativo, por isso, não serão aceitos comentários depreciativos sobre a opinião do autor. Saiba debater com respeito. Portanto, comentários ofensivos serão apagados. Para saber quando seu comentário for respondido basta "Inscrever-se por e-mail" clicando no link abaixo.