fevereiro 28, 2011

Oscar 2011: previsível e filme de superação vence contra a 'geração conectada'

Drama histórico O Discurso do Rei sai vitorioso contra A Rede Social e o nerd egoísta



Na previsão que preparei horas antes do Oscar 2011 já mostrava meu descontentamento com a premiação que vive criando injustiças em nome de interesses ou "fases". O Discurso do Rei ao levar o prêmio de melhor diretor pelo "desconhecido" Tom Hooper transparecia que a tática dar os dois principais prêmios  para obras diferente é algo estranho e até constrangedor, e que elegantemente não foi repetido aqui. Preferiram o conservadorismo. Enquanto isso A Rede Social saiu vencedor em três categorias: montagem, roteiro adaptado e trilha sonora. E isso não revela o quão grande o filme é. Ou seja, a saia justa fica por conta da obra ser boa, talvez superestimada um pouco, mas que faz uma crítica necessária e nos aproxima aos bastidores dessas grandes corporações criadas com o advento da Internet. Enquanto O Discurso do Rei (melhor filme, diretor, ator e roteiro original) veio com uma história batida de superação de problemas, que mesmo com uma história interessante e curiosa, é superestimada do mesmo jeito com seu jeito clássico de ser produzido. Ou seja, os dois estão praticamente no mesmo nível, não foram de grande sucesso com o público, apesar de A Rede Social ter conquistado a fama sozinho e não apoiado pelo Oscar, como está sendo este último, e os eleitores deviam sim terem equilibrado melhor a balança, já que David Fincher tem uma carreira mais consistente e fez finalmente seu melhor trabalho desde Clube da Luta. Se não gostaram muito do trabalho de David, preferiram quase consagrar os sonhos de Christopher Nolan.

Nolan, este, viu seu A Origem vencer em quatro categorias também, mas todas técnicas (fotografia, mixagem de som, edição de som e efeitos visuais). Foi esnobado nas indicações como melhor diretor e ator (Leonardo DiCaprio) e isso é estranho, afinal, é um filme inovador (e ainda perdeu como roteiro original!) - mas podia ser pior já que Bravura Indômita, que não ganhou nada de 10 indicações - e se fosse à julgar pelo conservadorismo - era pra ter saído na frente. No resto tudo foi previsível, a juventude de Anne Hathaway e James Franco foi bem vinda, mas pouco inovou à premiação que pareceu em alguns momentos ser chata e repetitiva. Nada memorável e a impressão que fica é que enquanto não aparecer um novo grande vencedor como Titanic ou O Senhor dos Anéis, a premiação vai seguir assim, tentando equilibrar premiados, causando injustiças ali e aqui e sempre buscando a redenção nos anos posteriores. Uma pena. Quem perde isso são eles mesmos que não buscam premiar filmes que realmente fazem sentido para a época e para a sociedade, acham que apenas as categorias de documentários servem para isso. Mas cada um tem a sua opinião e essa é a minha, de uma pessoa que está frustrado há muito tempo e pelo jeito vai continuar se frustrando.


Confira a lista dos indicados e dos vencedores (em negrito):


Melhor filme
Melhor Diretor
Melhor ator
Melhor atriz
Melhor ator coadjuvante
Melhor atriz coadjuvante
Melhor longa animado
Melhor direção de arte
Melhor documentário
  • Waste Land (Lixo Extraordinário)
  • Exit Through the Gift Shop
  • Trabalho Interno
  • Gasland
  • Restrepo
Melhor trilha sonora
Melhor roteiro original
Melhor roteiro adaptado 
Melhor Edição de Som
Melhor mixagem de Som
Melhores Efeitos Visuais
Melhor canção Original
Melhor Maquiagem
  • Achievement in makeup 
  • The Way Back 
  • O Lobisomem
Melhor Edição

Melhor Curta de animação
  • Day & Night
  • The Gruffalo A Magic Light Pictures
  • Let's Pollute A Geefwee Boedoe
  • The Lost Thing
  • Madagascar, carnet de voyage (Madagascar, a Journey Diary) 
Melhor fotografia
Melhor filme em lingua estrangeira
  • Biutiful
  • Fora-da-Lei
  • Dente Canino
  • Incendies
  • Em um Mundo Melhor
Melhor figurino

Melhor documentário em curta-metragem
  • Killing in the Name
  • Poster Girl
  • Strangers no More
  • Sun Come Up
  • The Warriors of Qiugang
Melhor curta-metragem
  • The Confession
  • The Crush
  • God of Love
  • Na Wewe
  • Wish 143

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção: Este blog contém conteúdo opinativo, por isso, não serão aceitos comentários depreciativos sobre a opinião do autor. Saiba debater com respeito. Portanto, comentários ofensivos serão apagados. Para saber quando seu comentário for respondido basta "Inscrever-se por e-mail" clicando no link abaixo.